Daniel: Uma Voz Profética Numa Terra Pagã
Dn. 6.27
                                                                

26/10/2012
 

Int.- Daniel é um dos grandes expoentes do Antigo Testamento.

- Daniel foi uma voz profética numa terra pagã.

- Daniel foi uma testemunha fiel em circunstância difícil.

- Daniel é um grande exemplo de um crente fiel, que se manteve fiel por toda a sua vida.

      No ano 607 a.C. o rei Nabucodonosor que era rei da Babilônia, e que iniciava o seu reinado, invadiu o reino de Judá, sitiou a cidade de Jerusalém e a destruiu, e levou cativo muitos judeus para a Babilônia, dentre eles Daniel que estava com 16 anos de idade. Nessa invasão os pais de Daniel foram mortos.

      Babilônia era uma cidade toda murada, com seus suntuosos palácios e edificações. Era uma cidade pagã, onde o povo sacrificava a ídolos.

- Babilônia era o berço da vaidade, da ostentação e da impiedade.

- Uma cidade e um povo que caminhava totalmente oposto aos padrões divinos.

      Daniel morava no palácio da Babilônia como cativo.

      Daniel foi instruído na Babilônia para servir a coorte de Nabucodonosor.

      Daniel costuma ser chamado: O profeta dos sonhos. Porque Deus revelava os seus segredos a Daniel através de sonhos.

      Desde o seu cativeiro, Daniel passou a vida toda na grande Babilônia. Viveu por 69 anos uma vida irrepreensível numa corte corrupta. Ocupou posições elevadas sob o reinado de Nabucodonosor, Belsazar, Dario e Ciro.

      O livro de Daniel é chamado de o Apocalipse do Antigo Testamento, pois contém revelações proféticas dos últimos dias.

I-Características de Daniel.

Dn. 10.11: Deus chama Daniel de: Homem mui desejado.

- Desde pequeno Daniel aprendeu o valor da oração.

- Os seus pais lhes havia ensinado a buscar a Deus.

- Ainda mais agora que ele estava no cativeiro, buscava mais a Deus.

Dn. 6.10: Três vezes no dia se punha de joelhos, e orava, e dava graças, diante do seu Deus.

      Logo que Daniel chegou a Babilônia veio a primeira grande prova.

1-A Primeira Grande Prova de Daniel.

- Os jovens que eram educados e recebiam conhecimento em toda a ciência, tinham uma porção do manjar do rei a cada dia, para se manterem saudáveis. Só que aqueles manjares antes de lhes serem dados, eram oferecidos aos ídolos babilônicos; e Daniel se absteve de comer aqueles manjares.

- Uma das abstenções mais difíceis para o ser humano é a abstenção na alimentação.

- É mais fácil abster-se da televisão, da internet, de andar de carro, de roupas pomposas, do que na qualidade da alimentação.

- Um grande escritor disse: Não são as nossas habilidades que revelam quem nós somos, mas são as nossas escolhas.

- Daniel escolheu ser fiel a Deus.

- Daniel ousou conservar-se puro o coração e o corpo, por isso Deus o escolheu para servir de instrumento da sua mensagem às nações gentias do mundo.

- Daniel abriu mão do manjar do rei, da comida requintada, para comer apenas legumes, para manter a sua fidelidade a Deus.

- Daniel era uma luz brilhando nas trevas do paganismo.

- Daniel manteve a diferença no meio de um povo pagão.

- somos chamados para sermos diferentes.

- Seja diferente no meio dos iguais.

- A diferença faz a diferença.

- Somos chamados para sermos sal da terra e luz do mundo.

Mt. 5.13,14: Vós sois o sal da terra; e, se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta, senão para se lançar fora e ser pisado pelos homens.

      Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte.

- Ilustração quando trabalhava numa metalúrgica em São Bernardo.

- Não ceda as pressões e as tentações.

- Os vitoriosos e aprovados são aqueles que não cedem.

- Sansão cedeu a pressão e perdeu a sua força.

- Arão cedeu a pressão do povo e construiu um bezerro de ouro.

- José não cedeu a pressão, a tentação e foi honrado por Deus.

Sl. 25.14: O segredo do Senhor é para os que o temem; e ele lhes fará saber o seu concerto.

- Deus vai revelar os seus mistérios aquele que é intimo dele.

 - É fácil ser fiel quando tudo é favorável.

- Precisamos ser fiéis também nas circunstâncias difíceis.

Pv. 28.20: O homem fiel abundará em bênçãos.

- Daniel tinha uma vida submissa a Deus.

- Daniel tinha um coração puro e santificado.

- Daniel era um homem de oração.

- A Bíblia fala que Daniel se distinguia dos outros homens, porque nele havia um espírito excelente.

- Quem tem o Espírito de Deus se distingue das outras pessoas.

- A Unção de Deus em nossa vida faz a diferença.

II- Daniel na Cova dos Leões.

- Daniel estava agora com mais de 80 anos de idade.

- Estava reinando agora na Babilônia o rei Dario.

- O rei Dario gostava de Daniel e pensava em colocá-lo sobre todo o reino.

- Só que os demais príncipes da Babilônia tinham inveja de Daniel.

- A prosperidade de Daniel e o carinho do rei para com ele, levantava essa inveja.

- A benção de Deus sobre a sua vida gera inveja em outras pessoas.

- A Bíblia fala que os príncipes e presidentes procuravam achar ocasião contra Daniel a respeito do reino, mas não achavam; porque em Daniel não havia nenhum vicio nem culpa.

- Sem saber, o rei Dario foi induzido a promulgar um decreto, cujo fim único era destruir Daniel.

- Diante daquele decreto do rei, Daniel sabia: Ou negava a sua religião ou então morria por ela.

- Daniel escolheu morrer por ela.

- Daniel não mudou os seus hábitos.

- Daniel orou como de costume.

- A posição de Daniel não foi um ato repentino ou heróico.

- Mas foi a posição de um homem amadurecido na comunhão com Deus.

- Daniel revelou possuir uma fé genuína e amadurecida em Deus.

- Daniel por sua fidelidade a Deus foi condenado a cova dos leões.

- Daniel foi lançado na cova dos leões, mas caiu nas mãos do Deus vivo.

- Até os leões respeitaram Daniel.

- O mundo não pode criar leões que Deus não possa domar.

- A especialidade de Deus é fechar a boca dos leões da dificuldade e da tentação.

- Deus tem compromisso com aquele que é fiel.

Is. 43.1: Não temas, porque eu te remi: chamei-te pelo teu nome, tu és meu.

V.2: Quando passares pelas águas estarei contigo, e quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo não te queimarás, nem a chama arderá em ti.

- Daniel foi salvo dos leões.

- Deus fechou a boca dos leões.

Dn. 6.22: O meu Deus enviou o seu anjo e fechou a boca dos leões, para que não me fizessem dano, porque foi achada em mim inocência diante dele; e também contra ti, ó rei, não tenho cometido delito algum.

III- O Decreto de Dario.

Dn. 6.26: Da minha parte é feito um decreto, pelo qual em todo o domínio do meu reino os homens tremam perante o Deus de Daniel; porque ele é o Deus vivo e para sempre permanente, e o seu reino não se pode destruir; o seu domínio é até ao fim.

V.27: Ele livra, e salva, e opera sinais e maravilhas no céu e na terra; ele livrou Daniel do poder dos leões.

- Um homem pagão, que não era servo de Deus, reconhece a grandeza de Deus, pelo testemunho e pelo livramento de Daniel.

- Quando Deus opera em nossa vida até o ímpio reconhece a grandeza de Deus.

- O mais interessante é que o rei Dario fez um decreto, reconhecendo a grandeza de Deus e o poder de Deus.

- Você já imaginou, você adorar a Deus por Decreto?

- Dario reconheceu que o Deus que servimos é um Deus infinitamente grandioso.

- O nosso Deus é tão grandioso, Ele tem o Poder Criador, tem o Poder de Sustentar todas as coisas com a sua Palavra, tem o Poder de Transformar tudo existente.

- Foi o nosso Deus que criou o Universo; as estrelas, o sol, a lua, as constelações.

- O nosso Deus fez o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida. E fez do homem a Coroa da sua criação.

- Foi o nosso Deus que abriu o Mar Vermelho.

- Foi o nosso Deus que abriu o Rio Jordão.

- Foi o nosso Deus que sustentou por 40 anos, três milhões de hebreus no deserto.

- Foi este Deus que escolheu a Nação de Israel, e que os tem guardado diante da opressão dos inimigos.

- Este Deus também livrou Sadraque, Mesaque e Abedenego da fornalha de fogo ardente.

- Este Deus livrou Pedro da prisão e da morte anunciada.

- Este é o Deus que nós servimos.

- Um Deus tão grande; tão poderoso; que a terra é comparada com o assoalho dos pés de Deus.

Is. 66.1: Assim diz o Senhor: O céu é o meu trono, e a terra, o escabelo dos meus pés. Que casa me edificaríeis vós? E que lugar seria o do meu descanso?

1-O Nosso Deus é um Deus tão Grande, que é Maior que os Nossos Problemas.

- O auxílio de Deus é certo: nunca falhou, nem falhará.

- Nas guerras, nas doenças, nas dores, nas aflições.

- Deus continua a nos auxiliar e nos proteger, em quaisquer circunstâncias.

- Em Juízes 7 quando o povo gemia sob a dura escravidão Midianita. O auxílio do Senhor veio a Gideão e seus trezentos homens.

- Você e Deus é maioria.

II Rs. 6.16: E ele disse: Não temas; porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles.

2- O Nosso Deus é um Deus que Opera Maravilhas na hora da Prova.

Sl. 30.5: Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida; o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.

- O tempo da prova é passageiro.

- O tempo da aflição vai passar.

- O tempo do cativeiro vai terminar.

- No amanhecer de Deus haverá livramento.

- No amanhecer de Deus haverá curas.

- No amanhecer de Deus haverá libertação.

- O dia vai clarear; o sol de Deus vai brilhar na sua vida.

- Deus vai operar maravilhas na sua vida.

 

 

  Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil

 
Mais mensagens