Home
 
 
 
     
  A Cura de Uma Mulher Paralítica          

26/07/2015

 
  Lc. 13.10-13     
 

                                                                       

Int.: Jesus nesse texto estava na região da Judéia, fazendo sua última viagem para Jerusalém antes da sua crucificação. 

      Jesus estava numa das sinagogas ensinando, e era um sábado. 

      O que Jesus ensinava? As verdades acerca do Reino de Deus. 

- E Jesus dizia: 

Lc. 4.18,19: O Espírito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-me a curar os quebrantados do coração. 

      A apregoar liberdade aos cativos, a dar vista aos cegos, a pôr em liberdade os oprimidos, a anunciar o ano aceitável do Senhor. 

- O propósito de Jesus era reconciliar o homem com Deus. 

- O pecado distanciou o homem de Deus; fez com que o homem perdesse a glória de Deus. 

Ef. 2.13: Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto. 

      O Evangelista Lucas nos conta aqui a história de uma mulher que sofria de uma enfermidade há dezoito anos. Era uma deformação na sua coluna cervical fazendo com que ela andasse totalmente encurvada. O texto nos informa que essa enfermidade era causada por um espírito maligno, e que de modo algum ela podia endireitar-se. 

      Essa mulher constantemente ia à sinagoga, sem se importar com que as pessoas pensavam dela; já estava acostumada com o seu sofrimento. 

      Apesar de estar sempre na sinagoga, nada de novo acontecia em sua vida. Ela talvez não esperasse nenhum milagre para a sua vida; talvez já julgasse não ser mais possível de acontecer. 

- Mas aquele dia era especial. Jesus estava naquele lugar e olhou para ela. 

- Se há um lugar que você possa encontrar com Jesus é na igreja. 

- Se há um lugar que pode acontecer um milagre na sua vida é na igreja. 

I- A Mulher Tinha Uma Enfermidade Dupla. 

      A enfermidade dessa mulher não era apenas física, mas era também espiritual. Essa mulher andava encurvada quanto ao corpo, e profundamente encurvada pela tristeza, quanto a mente. Sempre há uma ligação entre o corpo e a alma. 

- O estado dessa mulher nos traz a lembrança de vidas vazias e que estão visíveis aos olhos do Mestre. 

- Em cada esquina, ruas e casas, existem pessoas mortas espiritualmente. 

- Pessoas que estão sofrendo sem Jesus em seus corações. 

- Pessoas com todo tipo de tristeza e angústias. 

      Naquele sábado, como habitualmente, a mulher frequentou aquela reunião, talvez já conformada com os olhares de desprezos e de discriminações. Entretanto, um olhar diferente dirigiu-se para ela naquele dia, era o olhar de Jesus. 

- Esta mulher doente estava presa por Satanás. 

- Satanás impedia que ela olhasse para cima. 

- Satanás oprimia essa mulher com preocupações e sofrimentos. 

Jo. 10.10: O ladrão não vem senão a roubar, a matar e a destruir;... 

- A mulher estava totalmente impotente. 

- Ninguém, nem mesmo ela ou outros, conseguia arrebentar as correntes de Satanás. 

- Todos os esforços falharam. 

- Porém Cristo morreu pelos fracos. 

Rm. 5.6: Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. 

- A mulher procurava ajuda. 

- Apesar de ser uma filha de Abraão estava presa. 

- Ela era religiosa e ia, aos sábados, à sinagoga. 

- Havia dezoito anos que não contemplava o céu ensolarado. 

- Nesse período nenhuma estrela da noite alegrara sua vista. 

- Seu rosto era dirigido para baixo, em direção ao pó, e toda a luz da sua vida era ofuscada. 

- Andava ao redor como se procurasse uma cova. 

- Quantas pessoas estão curvadas na Religião. 

- Raras vezes entram em comunhão com Deus. 

- Pessoas que procuram manter-se firme por meio da crença. 

- Mas tem pouca paz; pouca alegria; perderam a coroa e a flor da vida espiritual. 

- Essa pobre mulher estava encurvada em direção a si mesma. 

- Parecia crescer para baixo; sua vida se encurvava; cada vez mais para baixo. 

- Todos os seus olhares dirigiam-se para a terra. 

- Nada celestial, radiante, aparecia diante de seus olhos. 

A) Tempo da Enfermidade. 

      Talvez o pior aspecto do caso dessa mulher infeliz fosse sofrer dessa doença durante dezoito anos. 

- Portanto, a doença era crônica. 

- Dezoito anos, é um período muitíssimo longo. 

- Dezoito anos de dor, de ficar encurvada até a terra, era terrível. 

- Ela passara dezoito anos acorrentada pelo Diabo. 

- Dezoito anos em grande desgraça, deprimida. 

- Embora essa pobre mulher estivesse encurvada na mente e no corpo, ela não deixava de frequentar a casa de Deus. 

- Ela foi à casa de Deus naquele sábado, e Jesus estava lá. 

- Aconteça o que acontecer continue subindo à casa de Deus. 

II- O Processo da Libertação. 

- O Libertador estava na sinagoga naquele sábado. 

Lc. 4.19: A apregoar liberdade aos cativos, a pôr em liberdade os oprimidos. 

- A mulher estava subjugada pelo Diabo, mas o Libertador estava lá naquele dia. 

- A primeira coisa que lemos a seu respeito é que Jesus a viu. 

V. 12: E, vendo-a Jesus. 

- Jesus viu aquela mulher por dentro e por fora. 

- Jesus na sua onisciência sabia da história dessa mulher. 

- Jesus sabia cada pensamento do seu coração. 

- Jesus sabia cada desejo da sua alma. 

- Ninguém contara para Jesus do seu sofrimento por dezoito anos, mas ele sabia tudo a respeito: Como ela foi atada, o que sofrera no período, como orara pedindo cura, e como a enfermidade a continuava oprimindo. 

- Em um só minuto Jesus lera sua história e lhe compreendera o caso. 

- Ele a viu; Oh quanto significado naquele olhar de Jesus. 

- Jesus te vê nesta noite. 

- Jesus compreende o seu sofrimento. 

Is. 43.1b: Não temas, porque eu te remi; chamei-te pelo teu nome; tu és meu. 

- Aqui no V. 12, diz que Jesus chamou-a a si. 

- A mulher encurvada ficava com uma estatura baixa; mas Jesus a viu, e a chamou do meio da multidão. 

- Jesus enxerga a todos, não importa quantas pessoas estejam a sua volta. 

- No meio da multidão Jesus te enxerga. 

- No meio do seu sofrimento Jesus te vê. 

- Jesus chamou a mulher para vir até Ele. 

- Ela não podia levantar a cabeça, mas encurvada ela ouviu Jesus lhe chamar e obedeceu. 

- Amados, chamar para si, é trazer para a Sua esfera de poder. 

- Quando você chega perto de Jesus, você está entrando na esfera do alcance do poder de Jesus. 

- Em Lucas seis na cura de um homem que tinha uma das mãos mirrada, Jesus disse: “Levanta-te e vem para o meio”. 

- O homem foi para o meio e Jesus o curou. 

- Saia dos cantos da vida e vem para o meio, vem para perto de Jesus; e Ele operará o milagre que você precisa na sua vida. 

III- A Palavra Libertadora de Jesus. 

V. 12: E, vendo-a Jesus, chamou-a si, e disse-lhe: Mulher, estás livre da tua enfermidade. 

- Jesus libertou-a daquela enfermidade que a prendia há dezoito anos. 

- O domínio de Satanás que estava nela foi tirado, foi quebrado o poder que a deixava encurvada. 

I Jo. 3.8: Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo. 

- Jesus veio para desfazer as obras do diabo. 

- Tudo que de ruim o diabo faz, Jesus vem e desfaz. 

- Jesus transformou a sua vida; Jesus mudou a sua sorte. 

- Jesus te libertou das garras de Satanás. 

- Hoje você está nos braços de Jesus. 

- Isso aconteceu na vida do endemoninhado Gadareno. 

- Isso aconteceu na vida de Maria Madalena que tinha sete demônios. 

- Jesus veio para dar liberdade aos cativos de Satanás. 

V. 13: E impôs as mãos sobre ela, e logo se endireitou. 

- O sinal da sua libertação, foi ela se endireitar. 

- A sua coluna cervical voltou ao normal, depois de dezoito anos. 

- Há poder no toque e nas palavras de Jesus. 

- O milagre aconteceu; a mulher foi liberta; a cura chegou. 

- A onde Jesus está coisas extraordinárias acontecem. 

- Jesus está aqui nesta noite. 

Conclusão: 

V. 13: E glorificava a Deus. 

- É interessante que a gratidão da mulher é demonstrada por ela dar glória a Deus, e não a Jesus. 

- A mulher liberta agora, passou a louvar a Deus. 

- O resultado da sua libertação foi para a glória de Deus. 

- Todos os que estavam ali se alegraram pela sua libertação. 

- Ela que outrora não podia levantar a cabeça, agora levantava a sua cabeça para o céu e glorificava a Deus. 

- Todas as coisas que Deus faz em nossa vida é para a Sua glória. 

- Ele tem o poder de fazer coisas extraordinárias em nossa vida. 

Lc. 1.37: Porque para Deus nada é impossível. 

- Ele pode fazer qualquer coisa em nossa vida. 

- Ele pode todas as coisas.


 


 

 
       
 

Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil







 

 
Mais mensagens
Adicionar AD Jabaquara aos Favoritos