Home
 
 
 
 
 
 
 

22/08/2017 

               A Importância da Graça de Deus Para o Cristão               

Jo. 8.1-11

Int.- Jesus estava no pátio do templo na cidade de Jerusalém sentado, ensinando o povo, e alguns escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério, e a colocaram no meio onde Jesus ensinava.

      E disseram: Mestre, esta mulher foi apanhada no ato do adultério. De acordo com a lei que Moisés nos deu, as mulheres adúlteras devem ser mortas apedrejadas. Mas o senhor, o que é que diz sobre isso?

      Eles fizeram essa pergunta para conseguir uma prova contra Jesus, pois queriam acusa-lo.

      Mas Jesus não perde tempo, Ele aproveitou esta oportunidade para manifestar a graça de Deus e salvar uma alma.

      Jesus, inclinando-se escrevia com o dedo na terra.

      Deixou os escribas e fariseus sem resposta, para que eles fizessem a sua reflexão.

      Mas os escribas e fariseus insistiam com a pergunta para Jesus.

      Jesus então endireitou-se, e disse-lhes: “Aquele que dentre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela”.

      E, tornando a inclinar-se, escrevia na terra.

- Aqueles homens pecadores começaram a fazer uma reflexão pessoal de seus pecados, e começaram a sair de um a um começando dos mais velhos, até não ficar mais ninguém.

- E ficaram só Jesus e a mulher, e ela continuou ali, de pé.

V. 10: E, endireitando-se Jesus e não vendo ninguém mais do que a mulher, disse-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou?

V. 11: E ela disse: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais.

- Pela lei de Moisés a mulher merecia morrer apedrejada.

- Jesus poderia lhe dar a sua sentença de morte.

- Mas Jesus manifestou para com ela a graça de Deus.

- Usando para com ela de misericórdia, perdoando-a.

- A graça de Deus foi manifestada a esta mulher trazendo perdão e salvação.

- Quando o pecador é alcançado pela graça de Deus, sua vida é transformada e restaurada.

I- O Importante Significado da Graça de Deus.

- Primeiramente, graça significa “favor”, ou a “disposição bondosa da parte de Deus”.

- Alguém a definiu como a “bondade genuína e favor não recompensados” ou “favor não merecido”.

- Dessa forma a graça nunca incorre em dívida.

- O que Deus concede, concede-o como favor; nunca podemos recompensá-lo ou pagar-lhe.

- A salvação é sempre apresentada como dom, um favor não merecido, impossível de ser recompensado; é um benefício legítimo de Deus.

- Graça também significa a bondade espontânea e desmerecida de Deus conosco, a sua misericórdia e o seu amor.

- A graça é um dos atributos principais de Deus.

- É a manifestação de favor ou bondade sem se relacionar valor ou mérito da pessoa e independentemente do que a pessoa merece.

- O Senhor Deus é compassivo, clemente e longânimo e grande em misericórdia e fidelidade.

- A graça de Deus foi revelada de modo surpreendente e concedida na pessoa e obra de Jesus Cristo.

- Jesus Cristo trouxe salvação à raça humana pela sua morte e ressurreição; Jesus restaurou a comunhão quebrada entre Deus e o homem.

- O único caminho para a salvação de qualquer pessoa é pela graça do Senhor Jesus.

At. 15.11: Mas cremos que seremos salvos pela graça do Senhor Jesus Cristo, como eles também.

- A graça é transação de Deus com o homem, independente da questão de merecer ou não merecer.

- Graça não é tratar a pessoa como merece, nem tratá-la melhor do que merece, é tratá-la graciosamente sem a mínima referência aos seus méritos.

- Graça é amor infinito expressando-se em bondade infinita.

Ef. 2.8: Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus.

V. 9: Não vem das obras, para que ninguém se glorie.

- A graça manifesta-se independente das obras ou atividades dos homens.

II- A Graça de Deus no Novo Testamento.

      No Novo Testamento nós vemos a Graça de Deus como sendo a presença e o amor de Deus em Cristo Jesus, transmitidos aos crentes pelo Espírito Santo, e que lhes outorga misericórdia, perdão, querer e poder para fazer a vontade de Deus.

      Toda atividade da vida cristã, desde o seu início até o fim, depende da graça divina.

1- Deus concede uma medida da sua graça como dádiva aos incrédulos, a fim de poderem crer no Senhor Jesus Cristo.

Tt. 2.11: Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens.

- O incrédulo é tocado pela graça de Deus para poder alcançar a salvação em Cristo Jesus.

- A graça de Deus nos alcançou por isso estamos aqui.

2- Deus concede graça ao crente para seja liberto do pecado.

Rm. 6.22: Mas agora, libertados do pecado e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna.

- Agora como servo de Deus o crente vive em santificação, separado do mundo de pecado.

- A graça de Deus dá ao crente vitória sobre o pecado.

Rm. 6.14: Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça.

- O crente vive sob a influência da graça, por isso que ele vence o pecado.

3- O crente deve diligentemente desejar e buscar a graça de Deus.

Hb. 4.16: Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.

III- Alguns dos Meios Pelos Quais o Crente Recebe a Graça de Deus:

1- Estudando as Sagradas Escrituras e Obedecendo aos Seus Preceitos.

II Tm. 3.15: E que, desde a tua meninice, sabes as sagradas letras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus.

2- Ouvindo a Proclamação do Evangelho.

Lc. 24.47: E em seu nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém.

3- Orando.

Jd. 20: Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo.

4- Jejuando.

Mt. 4.2: E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome.

- Jesus antes de ser tentado pelo diabo jejuou, buscando graça do Pai, para vencer a tentação.

5- Através da Adoração a Deus.

Jo. 4.24: Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.

6- Participando da Santa-Ceia do Senhor.

At. 2.42: E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.

IV- Alguns Fatores Importantes Para o Crente Quanto a Graça de Deus.

1- A Graça de Deus Pode Ser Resistida.

Hb. 12.15: Tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem.

2- O Crente Tem Que Vigiar Para Não Receber a Graça de Deus Em Vão.

II Co. 6.1: E nós, cooperando também com ele, vos exortamos a que não recebais a graça de Deus em vão.

3- A Graça Pode Ser Apagada na Vida do Crente.

I Ts. 5.19: Não extingais o Espírito.

4- A Graça Pode Ser Anulada no Crente.

 Gl. 2.21: Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde.

5- A Graça de Deus Pode Ser Abandonada Pelo Crente.

Gl. 5.4: Separados estais de Cristo, vós os que justificais pela lei; da graça tendes caído.

Conclusão: A Graça de Deus na vida do crente é de suma importância para se ter uma vida rica espiritualmente, sem essa Graça o crente fica praticamente estagnado na sua vida espiritual.

      É a Graça de Deus que dá ao crente a alegria para viver, a paz no seu dia a dia e a força para continuar a combater o mal.

 

 

 
       
 

Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil







 

 
Mais mensagens
Adicionar AD Jabaquara aos Favoritos