Home
 
 
 
     
  A Cura de Um Endemoninhado em Cafarnaum 

21/09/2014

 
  Lc. 4. 31-36     
 
 
 

Int.: Jesus nasceu em Belém de Judá, conforme havia sido profetizado pelo profeta Miquéias, 710 anos a.C.; Jesus cresceu em Nazaré; onde lá passou a sua infância, juventude e início do seu ministério. 

      Jesus Cristo quando iniciou o seu ministério terreno, tinha trinta anos de idade, e exerceu o Seu ministério, por três anos e meio. Iniciou o Seu ministério na cidade de Nazaré, onde fora criado; mas os habitantes de Nazaré, por terem visto Ele crescer, não creram na Sua divindade e o rejeitaram, ao ponto de se encherem de ira, e o expulsarem da cidade, querendo matá-lo. 

Lc. 4.24: E disse: Em verdade vos digo que nenhum profeta é bem recebido na sua pátria. 

Mc. 6.5: E não podia fazer ali obras maravilhosas; somente curou alguns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos. 

      Dessa forma Jesus foi para Cafarnaum, e foi esta cidade adotada por Jesus, onde estabeleceu Seu quartel-general. De Cafarnaum Jesus percorria todas as cidades e aldeias de Israel. Jesus operou muitos milagres em Cafarnaum, por causa da aceitação e da fé do povo dessa cidade. Todos queremos ficar onde somos bem aceitos. 

- A incredulidade impede Deus operar. 

- Nos Evangelhos vamos encontrar que onde havia incredulidade, Jesus não conseguia operar milagres; mas aonde havia fé, muitos milagres aconteciam. 

- Em Marcos Oito a Bíblia fala que Jesus foi para Betsaida, uma aldeia a beira do Mar da Galiléia; a Bíblia fala que lhe trouxeram um cego para que Ele o curasse. Jesus tomou o cego pela mão, e levou-o para fora da aldeia; e fora da aldeia orou e tocou nele, e o cego foi curado e começou a enxergar. Jesus tirou o cego da aldeia, por causa da incredulidade do povo daquela cidade. 

- A incredulidade daquele povo impedia Jesus de curar aquele cego; foi por isso que Jesus o tirou do meio da incredulidade, para operar o milagre em sua vida. 

- A nossa fé em Deus, sensibiliza o Seu coração. 

Mc. 9.23: E Jesus disse-lhes: Se tu podes crer; tudo é possível ao que crê. 

Hb. 11.6: Ora, sem fé é impossível agradar-lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que é galardoador dos que o buscam. 

I- Jesus Exerce o Seu Ministério em Cafarnaum. 

V. 31: E desceu a Cafarnaum, cidade da Galileia, e os ensinava nos sábados. 

V. 32: E admiravam-se da sua doutrina, porque a sua palavra era com autoridade. 

- Amados, no meio de todos os agrupamentos, e em face de todas as circunstâncias, Jesus ensinava com autoridade e poder. 

- Todos se admiravam da sua doutrina. 

- As palavras que Jesus falava tocava profundamente o coração daquelas pessoas. 

- A Bíblia fala: “Porque a sua palavra era com autoridade”. 

- As palavras que Jesus transmitia saiam com poder e autoridade. 

- As pessoas eram tocadas; transformadas e vivificadas. 

- Porque as palavras de Jesus tinham vida. 

- Em São João Sete, os principais dos sacerdotes e fariseus, mandaram servidores para trazerem Jesus preso; como o não trouxeram, perguntaram: “Por que o não trouxestes”?; e os servidores responderam: “Nunca homem algum falou assim como este homem”. 

- Eles ficaram impactados pelas palavras e autoridade com que Jesus falava. 

- O objetivo deles foi quebrado pelo poder com que Jesus falava. 

- A Palavra de Deus transmitida com unção, tem um poder tremendo no coração das pessoas. 

- Nada nesse mundo pode transformar as pessoas como o Evangelho de Jesus Cristo. 

Rm. 1.16: Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego. 

- O Evangelho de Cristo tem o poder de libertar vidas do pecado. 

- O que a psicologia e a psiquiatria não pode fazer, o Evangelho de Cristo pode. 

- Pois o Evangelho de Cristo é o poder de Deus agindo na vida das pessoas. 

- Não importa quem seja a pessoa; o que ela já tenha feito; não importa os vícios que a pessoa tenha; o Evangelho de Cristo liberta a pessoa de todo o mal. 

- Há poder no Evangelho de Cristo. 

II- A Libertação do Endemoninhado. 

V. 33: E estava na sinagoga um homem que tinha um espírito de um demônio imundo. 

- A Bíblia não cita o nome deste homem. 

- Este homem não tinha uma vida normal por causa dessa possessão. 

Jo. 10.10: O ladrão não vem senão a roubar, a matar e a destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham com abundância. 

- O inimigo das nossas almas tem o objetivo de roubar a alegria, de matar a esperança e destruir vidas. 

- Foi isso que Satanás fazia na vida desse homem. 

- E esse homem foi na sinagoga, no templo, na igreja. 

- A igreja é o lugar do encontro com Deus. 

- Jesus estava na sinagoga quando este homem lá chegou. 

- Quando você vem ao culto, você está dando uma oportunidade para Deus falar com você; para Deus operar em sua vida. 

- Foi isso que aconteceu com este homem: Ele estava no lugar certo para receber a sua libertação. 

- Ele teve um encontro com aquele que pode todas as coisas. 

- Ele teve um encontro com aquele que tem todo o poder, o Senhor Jesus Cristo. 

- Aquele homem estava preso por Satanás. 

- Satanás o aprisionava, tirando dele a alegria, a paz, o prazer de viver. 

- Até que ele teve um encontro com Jesus. 

I Jo. 3.8: Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo. 

- Jesus veio para desfazer as obras do diabo. 

- O simples fato de Jesus estar na sinagoga alvoraçou o demônio que estava no homem. 

- A onde opera o poder de Deus, as forças do mal são expulsas. 

- A presença de Jesus naquela sinagoga manifestava ali o poder de Deus. 

Is. 10.27: E o jugo será despedaçado por causa da unção. 

- A prisão satânica será quebrada por causa do poder de Deus. 

- A unção de Deus naquela sinagoga estava libertando aquele homem. 

V. 34: Dizendo: Ah! Que temos nós contigo, Jesus Nazareno? Vieste a destruir-nos? Bem sei quem és: o Santo de Deus. 

- O demônio na vida daquele homem sabia quem era Jesus. 

Tg. 2.19: Tu crês que há um só Deus? Fazes bem; também os demônios o creem e estremecem. 

- Os demônios conhecem o poder que há no nome de Jesus. 

- Os demônios estremecem só de ouvir este nome. 

- Quando Jesus foi para o céu depois da Sua ressurreição Ele disse: “É-me dado todo o poder no céu e na terra”. 

- Jesus tem o poder sobre todas as coisas. 

V. 35: E Jesus o repreendeu, dizendo: Cala-te e sai dele. E o demônio, lançando-o por terra no meio do povo, saiu dele, sem lhe fazer mal. 

- Que alivio aquele homem teve depois da sua libertação. 

- Voltou a paz; voltou a alegria; voltou a esperança da vida. 

- Quando Jesus entra em uma vida Ele a transforma por completo. 

- Jesus te libertou; Jesus te salvou; Jesus te transformou. 

- Jesus vai completar a obra em sua vida e na sua casa. 

- Aquilo que Jesus começou, Ele vai terminar. 

- Jesus não faz nada incompleto; Jesus não deixa a sua obra inacabada. 

- Jesus continua sendo o capitão do seu barco. 

- Jesus continua operando em sua vida. 

- Deus está no controle de tudo que acontece com os seus servos. 

Rm. 8.28: E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto. 

- Para o salvo em Cristo Jesus, todas as coisas convergem para o seu bem, para o seu bem estar, para a sua vitória. 

Conclusão: 

V. 36: E veio espanto sobre todos, e falavam uns e outros, dizendo: Que palavra é esta, que até aos espíritos imundos manda com autoridade e poder, e eles saem? 

- Quando Jesus opera as pessoas ficam admiradas. 

- O poder de Deus agindo nas pessoas, traz espanto e surpresa as pessoas. 

- Aquele homem voltou para a sua casa liberto. 

- Aquele homem voltou para a sua casa, diferente da maneira que saiu. 

- Aquele homem voltou para casa, cheio de alegria, cheio de paz, cheio de gozo. 

- Quem tem um encontro com Jesus, a sua vida nunca mais será a mesma.


 

 
       
 

Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil







 

 
Mais mensagens
Adicionar AD Jabaquara aos Favoritos