Home
 
 
 
 
 
 
  Quando o Naufrágio Parece Iminente

21/02/2016   

 
  At. 27.18-20    
 

 

Int.: O capítulo vinte e sete do livro de Atos dos Apóstolos, relata a história do naufrágio de um navio adramitino, onde viajavam duzentas e setenta e seis almas; e como todas elas foram salvas pela intercessão de um servo de Deus que estava no navio.

      Na história desse naufrágio nós vamos aprender importantes lições do nosso viver cristão do nosso dia a dia.

      O Apóstolo Paulo chamado por Deus para pregar o evangelho aos gentios, fazia um trabalho extraordinário, viajando por toda a Ásia, ganhando almas e abrindo igrejas para o Senhor.

      O trabalho de Deus na vida de Paulo era maravilhoso: Almas eram salvas, vidas eram libertas dos espíritos demoníacos, pessoas eram curadas.

At. 19.11: E Deus, pelas mãos de Paulo, fazia maravilhas extraordinárias.

      Muitas igrejas foram abertas e o evangelho de Jesus Cristo foi amplamente divulgado por todo o mundo de então.

      Os religiosos judeus movidos por ciúme e inveja perseguiam a Paulo por todas as cidades que ele passava.

      Porque Paulo fazia o que nenhum religioso fazia: O poder de Deus estava na vida de Paulo.

      Paulo sofreu perseguições; difamações; açoites; prisões; apedrejamento, tudo por ser um pregador do evangelho.

      Paulo é chamado em Atos dezessete: Aquele que tem alvoroçado o mundo com o evangelho de Cristo.

      Depois da sua terceira viagem missionária, Paulo vai para Jerusalém para testemunhar aos apóstolos de Jesus, toda a obra que Deus havia feito por seu intermédio.

      No templo em Jerusalém, Paulo foi preso pelos judeus invejosos pelo seu trabalho. E como aumentava os rumores para matarem Paulo, o tribuno mandou soldados levarem Paulo para a prisão em Cesaréia para que o Presidente Félix o julgasse.

      Diante de Félix Paulo apelou para César o Imperador.

      Então Paulo e alguns outros presos foram levados pelo centurião Júlio no navio adramitino para Roma para ser julgado pelo Imperador.

      A viagem de Cesaréia iria pela costa da Ásia Menor até Roma. Era uma viagem de muitas semanas até Roma; o navio era a vela, não havia ainda sido inventado o motor.

I- As Lições Que Aprendemos Nesse Capítulo.

      Paulo estava preso sendo levado a Roma para ser julgado.

- Deus preparou companheiros para que Paulo não sofresse só.

V. 2: E, embarcando nós em um navio adreminamitino.

- O Evangelista Lucas que escreveu o livro de Atos, juntamente com Aristarco, crente macedônio de Tessalônica, compraram a passagem nesse navio para estarem com Paulo.

- Eles iam juntos para ajudá-lo e serví-lo em tudo o que pudessem.

- Paulo não viajou como um preso comum. Ele tinha amigos.

Rm. 12.10: Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal.

Rm. 12.13: Comunicai com os santos nas suas necessidades, segui a hospitalidade.

- Lucas e Aristarco viveram esse cristianismo que agrada a Deus.

- Dispuseram do seu tempo; deixaram tudo que estavam fazendo; pagaram do seu próprio bolso a passagem para não deixarem Paulo sozinho.

- Viveram o cristianismo no seu mais alto grau.

- O amor de Deus operava em suas vidas.

- Quando o amor de Deus está em nós, agimos em prol do nosso semelhante.

- O cristianismo verdadeiro é aquele que faz o cristão amar o seu próximo e agir para o bem dessa pessoa.

II Ts. 3.13: E vós, irmãos, não vos canseis de fazer o bem.

1- Primeira Lição Deste Texto: Quando você sofre sendo um cristão verdadeiro, Deus prepara pessoas para estarem ao seu lado.

- Deus não abandona aqueles que lhe são fiéis.

- Isso aconteceu com Sadraque, Mesaque e Abednego na fornalha de fogo ardente.

- Isso aconteceu com Daniel na cova dos leões.

- Isso aconteceu com Pedro na prisão.

- Deus não te abandona na hora da angústia, se você é fiel.

Ap. 17.14: Vencerão os que estão com ele, chamados, eleitos e fiéis.

- Para vencer precisa estar com Ele, com Jesus.

- Quem está com Jesus tem vitória nas adversidades, nos problemas e nas aflições.

- Deus guardou Paulo em meio ao naufrágio, porque ele era fiel.

- Os céus agiram nesse naufrágio por causa de um servo de Deus.

II- Quando A Tempestade Atinge a Embarcação.

- Uma grande tempestade acometeu o navio no meio do mar.

V. 18: E, andando nós agitados por uma veemente tempestade.

- A tempestade chegou de repente sobre o navio.

- Ninguém que estava no navio ficou ileso da tempestade: Ela atingiu os turistas, pessoas ricas, pessoas da classe média, trabalhadores, funcionários braçais, soldados, prisioneiros, até os crentes.

- O Apóstolo Paulo, o evangelista Lucas e o irmão Aristarco estavam no navio.

- Por sermos servos de Deus não estamos isentos de enfrentarmos tempestade na vida.

Jo. 16.33: Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.

- O cristão também passa por lutas, problemas, sofrimentos, semelhantes aos não cristãos; a diferença é que Jesus está conosco.

- Os dias foram passando e a tempestade não parava.

- Como eles perceberam que o navio poderia afundar, começaram a jogar ao mar tudo o que podiam.

V. 19: E, ao terceiro dia, nós mesmos, com as próprias mãos, lançamos ao mar a armação do navio.

- A tempestade era tão forte que eles não conseguiam dormir, nem comer.

- Estavam fazendo de tudo para escapar da tempestade e nada.

- Olhavam para cima era só nuvens escuras e pesadas de chuva; nada de sol e nem de estrelas.

- Os dias iam passando e nada de a chuva parar.

- Chegou a completar quatorze dias de tempestade.

V. 20: E, não aparecendo, havia já muitos dias, nem sol nem estrelas, e caindo sobre nós uma não pequena tempestade. Fugiu-nos toda a esperança de nos salvarmos.

- Todos estavam fracos, famintos, cansados e desanimados.

- Aqui diz: “Fugiu-nos toda a esperança de nos salvarmos”.

- A esperança daquelas pessoas havia acabado.

- Planos que aquelas pessoas tinham para o futuro estavam frustrados.

- Sentiam-se impotentes diante da tempestade.

- Não podiam fazer mais nada.

- Você já se sentiu assim, impotente, sem ter mais o que fazer?

- Quando todos os teus recursos se esgotam?

- Quando o desespero bate no coração.

- Quando se chega ao extremo humano.

III- O Desespero Humano é a Oportunidade de Deus.

- Você pode perguntar: E o Apóstolo Paulo e Lucas e Aristarco, o que estavam fazendo nesses quatorzes dias de tempestade?

- Estavam lutando como os demais passageiros do navio.

- Talvez até pensaram na morte iminente.

- Mas Paulo tinha promessa.

At. 23.11: E, na noite seguinte, apresentando-se-lhe o Senhor, disse: Paulo, tem ânimo! Porque, como de mim testificaste em Jerusalém, assim importa que testifique também em Roma.

- O navio estava indo para Roma quando a tempestade os atingiu.

- O que Paulo fez mesmo sabendo que tinha promessa de Deus.

- Foi ao porão do navio orar, buscar a Deus, clamar ao Senhor.

- Tem coisa que só Deus faz.

- Quando chega o limite humano, e não tem saída, clame a Deus.

Jr. 33.3: Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes.

- Paulo orou a Deus do porão do navio e Deus respondeu.

- Enquanto Deus tiver um lugar e um propósito na vida de alguém aqui na terra, e tal pessoa buscar a Deus e seguir a direção do Espírito Santo, o Senhor o protegerá da morte.

- O salmista Davi dizia:

Sl. 16.1: Guarda-me, ó Deus, porque em ti confio.

Conclusão:

- Você pode ter dias negros.

- Você pode ter dias de densas nuvens em sua vida.

- Você pode ter dias de grandes tempestades em sua vida.

- Você se sentir impotente diante das lutas e problemas.

- Você pode sentir a frustração de planos que não se realizaram.

- Mas se você serve a Deus e busca a Deus eu tenho uma mensagem de Deus para você: O seu barco não vai afundar; o seu barco não vai naufragar.

- Deus responde a oração do justo.

- Deus vem em socorro daquele que lhe clama.

- Coloca a sua vida aos pés de Jesus, Ele vai entrar no seu barco e mudar a tua história.

 

 

 

 
       
 

Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil







 

 
Mais mensagens
Adicionar AD Jabaquara aos Favoritos