O INCENSO SANTO E O CRISTÃO                                         
20/05/2008
Ex. 30.34-38

Int.- Deus ordenou a Moisés que construísse o Tabernáculo no deserto. E a função principal do Tabernáculo era o de servir como o lugar de encontro entre Deus e o homem.

      O Tabernáculo construído por Moisés no deserto, deixou profundas lições para a Igreja, pela simbologia de cada objeto do tabernáculo, como pelos sacrifícios e celebrações das festas ordenadas por Deus.

- Cada peça e objeto têm o seu significado espiritual para nós hoje.

Hb. 10.1- Porque, tendo a lei a sombra dos bens futuros e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os que a eles se chegam.

- Tudo aquilo que foi escrito e vivido no passado serve de lição para nós hoje.

Rm.15.4- Porque tudo que dantes foi escrito para nosso ensino foi escrito, para que, pela paciência e consolação das Escrituras, tenhamos esperança.

- Nós aprendemos com o Tabernáculo.

I- O Altar do Incenso.

      Era uma peça de madeira de cetim, toda coberta de ouro, tinha 50 centímetros de cada lado e um metro de altura. Ele ficava diante do terceiro véu.

Ex. 30.1-3- E farás um altar para queimar o incenso; de madeira de cetim o farás.

    O seu comprimento será de um côvado, e a sua largura, de um côvado; será quadrado, e de dois côvados, a sua altura; e as suas pontas farão uma só peça com ele.

      E com ouro puro o forrarás, o seu teto e as suas paredes ao redor, e as suas pontas; e lhe farás uma coroa de ouro ao redor.

- E como devia ser usado o altar do incenso pelo sumo-sacerdote.

Ex. 30. 6-8- E o porás diante do véu que está diante da arca do Testemunho, diante do propiciatório que está sobre o Testemunho, onde me ajuntarei contigo.

   E Arão sobre ele queimará o incenso das especiarias; cada manhã, quando põe em ordem as lâmpadas, o queimará.

     E, acendendo Arão as lâmpadas à tarde, o queimará; este será incenso contínuo perante o Senhor pelas vossas gerações.

 

- Esse ato do Sumo-sacerdote queimar o incenso das especiarias cada manhã e a tarde, representa as nossas orações e a nossa adoração a Deus.

- O Sumo-sacerdote fazia todos os dias, mostrando a nossa necessidade de buscarmos a Deus todos os dias.

II- A Composição do Incenso.

      Essa composição nos dá lições importantes para a nossa vida de oração, de adoração e de ações de graças.

- Deus disse a Moisés toma especiarias aromáticas (v.34).

- Quer dizer quando o sumo-sacerdote queimava o Incenso, um perfume inconfundível invadia o tabernáculo.

- Quer dizer as nossas orações e adoração tem um cheiro agradável perante Deus.

Ap. 5.8- E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos.

- A nossa oração é como um perfume na presença de Deus.

Sl. 141.2- Suba a minha oração perante a tua face como incenso, e seja o levantar das minhas mãos como o sacrifício da tarde.

Lc. 1.10- E toda a multidão do povo estava fora, orando, à hora do incenso.

- Zacarias sacerdote foi oferecer o incenso e o povo orava.

1- Primeira Composição: Estoraque.

- Era uma planta, um arbusto, que tinha certa resina odorífera.

- Era extraído espontaneamente sem necessidade de incisão.

- Mostrando que o nosso louvor e adoração a Deus devem ser espontâneos.

Sl. 54.6- Eu te oferecerei voluntariamente sacrifícios; louvarei o teu nome, ó Senhor, porque é bom.

Sl.110.3- O teu povo se apresentará voluntariamente no dia do teu poder, com santos ornamentos; como vindo do próprio seio da alva, será o orvalho da tua mocidade.

2- Segunda Composição do Incenso: Ônica.

- Também chamada de onicha ou âmbar.

- Era extraído de um molusco marinho.

- Nos ensina que a nossa oração ou louvor deve partir das profundezas da ama.

Sl.130.1- Das profundezas a ti clamo, ó Senhor.

Jo. 4.24- Deus é Espírito, e importa que os que o adorem o adorem em espírito e em verdade.

3- Terceira Composição do Incenso: Gálbano.

- Era um arbusto do deserto.

- Suas folhas deviam ser quebradas e moídas para a extração do perfume.

- Mostrando que a adoração deve brotar de um coração quebrantado e contrito.

Sl. 51.17- Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus.

Sl. 34.18- Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado e salva os contritos de espírito.

- Quando o crente passa pela moinha do Senhor, ele vai produzir um perfume que agrada a Deus.

- O Hino 126 da HC- Os mais belos hinos e poesias foram escritos em tribulação – E do céu, as lindas melodias, se ouviram, na escuridão.

 

Conclusão: Ofereçamos a Deus um incenso aromático perfumado, através das nossas orações e louvores e de uma adoração sincera e com um coração quebrantado e contrito.

 

  Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo