As ATITUDES DO CRISTÃO PARA COM O PRÓXIMO
Lc. 10.25-37
                                                                

20/03/2012
 

Int.- Jesus nesta parábola do Bom Samaritano, responde a um certo doutor da lei que o interrogou: O que deveria fazer para herdar
a vida eterna? E Jesus respondeu amarás ao Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e ao teu próximo como a ti mesmo. E o doutor
da lei ainda perguntou: Quem é o meu próximo? E Jesus responde narrando a parábola do Bom Samaritano.

      Um certo judeu descia de Jerusalém para Jericó. Jericó ficava a uma distância de 30 quilômetros de Jerusalém. Jerusalém ficava a 800 metros acima do nível do mar e Jericó ficava a 400 metros abaixo do nível do mar. Por isso que Jesus disse: Descia um homem de Jerusalém para Jericó.

      No meio do caminho o homem foi vitima de salteadores que o roubaram e o espancaram, deixando-o quase morto.

      E a bíblia fala que descia um certo sacerdote por aquele caminho, e vendo-o, passou de largo. O sacerdote que era um homem religioso e prestava culto a Deus, deveria socorrer aquele homem, mas nem ligou para ele.

      E a bíblia fala que logo em seguida ia passando um levita e chegando aquele lugar e vendo-o, passou de largo. O levita era da tribo de Levi, separada para cuidar do sacerdócio; se esperava uma atitude de misericórdia do levita.

      Depois ia passando de viagem um samaritano, chegando perto do homem assaltado, e vendo-o, moveu-se de intima compaixão.

      A bíblia fala que o samaritano parou, atou-lhe as feridas, aplicando-lhe azeite e vinho; e colocou o homem no seu cavalo, levou-o para uma estalagem e cuidou dele. Não apenas deixou-o na estalagem, mas ficou aquele noite na estalagem cuidando do ferido. No outro dia tirou dois dinheiros, e deu-os ao hospedeiro e disse: Cuida dele, e tudo o que de mais gastares eu to pagarei, quando voltar.

      Os judeus não se comunicavam com os samaritanos. E foi justamente de quem não se esperava ajuda que ela veio; o samaritano agiu movido por compaixão e ajudou aquele judeu ferido.

      Jesus respondeu para o doutor da lei e disse: Vai e faze da mesma maneira.

 

I-A Importância de Identificarmos o Nosso Próximo.

- Quem é o nosso próximo?

1- Pode ser um parente dentro de casa, ou mais distante.

2- Pode ser um irmão da igreja a qual nós convivemos.

3- Pode ser um vizinho de nossa casa.

4- Pode ser um colega de trabalho ou de escola.

5- Pode ser qualquer pessoa que encontramos em nosso caminho.

      É importante o cristão entender o seu papel como servo de Deus e como representante de Deus neste mundo.

      Todo o cristão se depara com o próximo no seu dia a dia.

      Mesmo que achamos que no nosso dia a dia não existe um próximo, ele existe e muitas vezes nem o enxergamos.

      Muitas vezes pensamos que o próximo só é aquele que é mendigo, ou aquele que foi acidentado, ou aquele que foi assaltado.

- Mas perto de nós pode existir um próximo com depressão profunda; alguém necessitando de Jesus; de salvação; alguém muito angustiado; alguém extremamente perturbado; alguém que esteja se acabando na bebida, no cigarro, nas drogas; alguém totalmente entregue os vícios.

- O próximo não é só aquele que nos pede socorro, ou aquele que vem pedir a nossa ajuda.

- O próximo é alguém muito carente de uma palavra de conforto, de esperança, de alivio, de salvação, de restauração, de uma mão acolhedora, de uma mão amiga.

A) Exemplos Bíblicos.

1- Abraão foi o próximo de Ló, intercedendo por ele a Deus.

2- Davi foi o próximo de Mefibosete, mandando-o trazer de Lo-Debar.

3- Ebede-Meleque foi o próximo de Jeremias intercedendo ao rei para que Jeremias fosse tirado do calabouço.

4- Barnabé foi o próximo de Paulo ajudando-o no início da sua fé.

II- Três Atitudes do Cristão Para Com o Próximo.

1-Amor.

- O amor deve ser a característica principal do cristão.

Jo. 13.35- Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.

- Aqui Jesus está dizendo: Que somos conhecidos como seus discípulos, em amarmos uns aos outros.

- Primeiro devemos amar nossos irmãos em Cristo e também os nossos semelhantes e até os inimigos.

I Jo. 3.14- Nós sabemos que passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos; quem não ama a seu irmão permanece na morte.

- O amor é uma das características do fruto do espírito.

- Quando estamos cheios de Deus, ou cheios da graça, amamos.

I Jo. 4.7- Amados, amemo-nos uns aos outros, porque a caridade é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.

- A nossa comunhão com Deus faz com que amemos.

Mt. 5.44- Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem.

- Aqui está a grande prova para o cristão: Amar o seu inimigo.

- Amados, somente com a Graça de Deus em nossa vida, podemos assim proceder.

Hb. 13.1- Permaneça a caridade fraternal.

- O capítulo treze de hebreus instrui o cristão no seu ato de amor para com o próximo.

V.2- Não vos esqueçais da hospitalidade, porque, por ela, alguns, não o sabendo, hospedaram anjos.

V.3- Lembrai-vos dos presos, como se estivésseis presos com eles, e dos maltratados, como sendo-o vós mesmos também no corpo.

2- Perdão.

- O perdão é uma das grandes virtudes do cristianismo.

- Devemos aprender a perdoar da mesma maneira que fomos perdoados.

- Quando perdoamos tiramos um grande peso de sobre nós e livramos o nosso coração de sofrimento.

- Quando perdoamos, também somos perdoados.

Mt. 6.14- Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós.

- O perdão é uma atitude de grandeza para com o próximo.

- Quando perdoamos revelamos benignidade e misericórdia.

Ef. 4.32- Antes, sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.

- O exemplo de perdão nós temos em Jesus Cristo.

- Jesus Cristo é o nosso maior exemplo e instruidor a respeito do perdão.

Cl. 3.13- Suportando-vos uns aos outros e perdoando-vos uns aos outros, se algum tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também.

3- Comunhão.

- Comunhão é uma das grandes virtudes de um coração com graça.

- Quem não tem graça não consegue ter comunhão.

- O cristão ter comunhão com o seu próximo é uma atitude de nobreza.

Sl. 133.1- Oh! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união.

- É bom e é suave viver em comunhão.

Rm. 12.18- Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens.

- Naquilo que você puder, dentro das suas possibilidades, tenha paz e comunhão com as pessoas.

- O que nos faz ter comunhão com as pessoas é o caminhar na luz.

I Jo. 1.7- Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado.

- O andar na luz e a comunhão com o próximo faz-nos sermos abençoados por Deus.

 

Conclusão: A relação do cristão com o próximo, dentro dos ensinamentos bíblicos, faz com que o Evangelho seja ainda mais divulgado, e que vidas sejam ganhas para Cristo, com o testemunho e o exemplo do cristão.

 

 

  Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil

 
Mais mensagens