Home
 
 
 
 
 
 
  O Milagre da Multiplicação dos Pães

19/06/2016   

 
  Mt. 14.13-21    
 

 

Int.: Era responsabilidade do cabeça de cada família judaica, no início da refeição, olhar para o alto, agradecer a Deus e depois partir o pão e distribuí-lo para que todos o comessem. Uma das orações mais comuns antes das refeições era: “Bendito sejas, ó Senhor nosso Deus, Rei do Universo, que produzes o pão da terra”.

      Ao realizar esse milagre, Jesus assumiu o papel de Pai de família, assim como o papel de Deus, produzindo o pão para suprir as necessidades do seu povo. Alguns estimam que a multidão entre mulheres e crianças, pode ter chegado a 15 mil pessoas. Esse é um milagre muito significativo, pois é relatado em todos os quatro evangelhos.

I- O Alcance do Milagre.

      Primeiramente é notória a participação de Jesus, seus discípulos, e as milhares de pessoas que o seguiam nesse local no deserto. Por ser um local afastado da cidade, havia um desprovimento completo das pessoas, e ainda que algumas pessoas tivessem suprimento e preparo, jamais haveria para tanta gente.

      O objetivo de Jesus era ficar afastado o máximo possível da cidade e do povo, com o objetivo de repousar um pouco. Humanamente falando, Jesus não havia programado nada a não ser o descanso, mas a multidão descobre onde Jesus se encontrava.

      A verdade é que nunca havia surgido na história daquele povo um homem como Jesus. Ele tinha e tem a resposta pata todos. Ele era e é a solução do homem e da mulher desprezados e sem respaldo. Para o caído e sem esperança veio Cristo, e os homens viram nele o que suas almas ansiavam. Não dava mesmo para ficar longe de Jesus, e Jesus sabia dessa grande necessidade do povo.

Mt. 11.28: Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.

1- Veja a Compaixão de Jesus.

      É raro ver um líder que depois de um longo dia de trabalho, ainda reúne condições físicas para atender pessoas necessitadas. Jesus nessa ocasião estava na sua condição de homem, pois se retirou para um breve período de descanso. Jesus foi possuído de íntima compaixão, e realizou diversas curas e grandes milagres. O povo esqueceu-se da comida, pois quando estamos diante de Jesus esquecemos até que temos que comer.

- A multidão era grande e Jesus além de realizar grandes milagres, preocupou-se com a alimentação da multidão.

- Jesus não despede ninguém vazio.

- O amor de Jesus pelas pessoas é incomparável.

2- A Limitação dos Discípulos.

- É difícil andar com Jesus e não perceber a necessidade do povo.

- Os discípulos só puderam ver o normal, ver o imediato, sem a solução cabal.

- Os discípulos reconheceram que as horas estavam avançadas para aquela multidão no deserto longe de suas casas e sem alimentação, e pediram a Jesus para despedir a multidão.

- Eles não esperavam que Jesus tivesse uma solução totalmente diferente, e que eles mesmos teriam que colocar as mãos no trabalho.

- A visão de Jesus estava além do normal, ele tinha uma orientação melhor para seus discípulos, que envolvia fé.

Hb. 11.1: Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não vêem.

3- Veja a Provisão.

V. 16: Dai-lhes vós de comer.

- A solução dos discípulos era razoável, para que se despedisse a multidão, mas Jesus não despede ninguém vazio.

- Jesus disse aos discípulos algo que jamais esperariam que dissesse: “Dai-lhe vós de comer”.

- Essa orientação de Jesus é uma demonstração de que temos uma grande responsabilidade para com as pessoas que estão ao nosso redor.

- Quanto dinheiro e pães seriam necessários para saciar essa multidão faminta?

- Humanamente falando é impossível alimentar uma multidão do nada.

- Mas, não era do nada, alguém tinha trazido alguma coisa.

- O milagre sempre começa a partir de alguma coisa.

- O milagre nasce de uma ação de fé.

- André descobre um garoto que havia trazido um lanchinho: cinco pães e dois peixes.

- André convence o garoto a entregar o seu lanche para Jesus.

4- O Menino Que Deu o Lanche a Jesus.

- A mãe desse menino demonstra cuidado e responsabilidade para com seu filho.

- Ele vai até Jesus, mas não de mãos vazias, pois tinha uma mãe cuidadosa por trás.

- Aquela mãe jamais imaginava que aquele lanchinho entraria para a história e seria lembrado por povos e nações durante milênios.

- O menino não foi individualista e egoísta, pois poderia simplesmente comer o seu lanche escondido e longe daquela multidão, mas, preferiu entregar o que tinha a Jesus.

5- O Lanche nas Mãos de Jesus.

V. 18: Trazei-mos aqui.

- Partindo de uma doação, Jesus inicia o processo da multiplicação.

- Quando colocamos nossos cuidados e o nosso “quase nada” diante de Deus com fé, a multiplicação ocorre.

- Temos vários exemplos no Antigo Testamento:

A) A multiplicação dos pães na época de Eliseu. (II Rs. 4.42-44)

B) A multiplicação do azeite da viúva nos tempos de Eliseu. (II Rs. 4.17)

C) A multiplicação da farinha e do azeite da viúva de Sarepta nos tempos do profeta Elias. (I Rs. 17.8-16)

- Temos aqui uma grande lição de fé e um convite a entregar o que temos nas mãos de Jesus.

- Esse processo de multiplicação ainda está de pé. Deus faz, Deus multiplica aquilo que você lança diante dele, mesmo sendo o seu último bocado.

6- A Bênção da Multiplicação.

V. 19: E, erguendo os olhos ao céu, os abençoou, e, partindo os pães, deu-os aos discípulos, e os discípulos, à multidão.

- Primeiro, Jesus agradece, depois Jesus multiplica o pão, e então põe de novo nas mãos dos discípulos para darem a multidão.

V. 20: E comeram todos e saciaram-se, e levantaram, dos pedaços que sobejaram, doze alcofas cheias.

- Todos ficaram plenamente satisfeitos.

- E sobraram doze cestos cheios de pães.

- Quando Jesus faz um milagre ele faz para sobejar.

II- Lições Importantes do Milagre da Multiplicação:

1- Toda multiplicação resulta de uma oferta a Ele daquilo que foi Ele mesmo que nos deu.

2- Toda a multiplicação parte de algo que temos para doar.

3- O milagre da multiplicação ocorrerá quando colocarmos em suas mãos o que temos.

4- A multiplicação dos pães vai nos ensinar que quanto maior for a necessidade, maior será o milagre da multiplicação.

5- A multiplicação dos pães vai nos trazer uma lição moral e espiritual de que o nosso Deus pode provê milagres além de nossas necessidades.

III- Os Cinco Segredos da Multiplicação dos Pães:

1- Semear em Tempos Difíceis.

- Uma multidão muito grande seguia Jesus; e o texto explica o porquê.

Jo. 6.2: E grande multidão o seguia, porque via os sinais que operava sobre os enfermos.

2- Fé Incondicional no Senhor.

- Vendo a multidão faminta, o Senhor Jesus faz uma pergunta extremamente interessante a Felipe:

Jo. 6.5: Onde compraremos pão, para estes comerem?

3- A Entrega Total.

- Consideremos a entrega do que somos.

- Notai que o evangelista João, ao descrever o milagre, fala primeiro que um rapaz se apresenta: “Está aqui um rapaz”. Para depois falar do que ele tem: cinco pães de cevada e dois peixinhos.

- Como o Senhor multiplicará o que temos se não damos primeiramente a Ele?

- Vemos naquele rapazinho, a vitória da generosidade sobre a avareza.

4- A Gratidão.

- É digno de nota, que o milagre da multiplicação é precedido por uma atitude de gratidão.

Jo. 6.11: E Jesus tomou os pães e, havendo dado graças...

- É interessante como Deus trabalha na vida de quem é a Ele agradecido.

5- Partilha.

Jo. 6.11: E Jesus tomou os pães e, havendo dado graças, repartiu-os pelos discípulos, pelos que estavam assentados; e igualmente também os peixes, quanto eles queriam.

- O milagre da multiplicação não se deu só no momento em que Jesus partiu os pães e os peixes, mas, em cada vez que ocorria a partilha.

- Multiplicou na mão de Jesus ao repartir e dar aos discípulos.

- Multiplicou na mão dos discípulos ao repartirem as pessoas.

- O milagre da multiplicação não parava, enquanto iam repartindo o pão.

Ec. 11.1: Lança o teu pão sobre as águas, porque, depois de muitos dias, o acharás.

Conclusão:

- E o mais interessante é que Jesus multiplicou os pães e os peixes, sem cobrar nada em troca.

- Foi tudo feito por graça e de graça.

- Jesus curou, perdoou, salvou e alimentou aqueles homens de graça.

- É assim mesmo que Jesus age.

- Jesus se importa com você de verdade.

- Jesus não está interessado no que você tem para oferecer em troca.

- Jesus está interessado em você.

- Jesus quer te abençoar.

- Jesus tem interesse em suprir todas as necessidades em todas as áreas de sua vida.

- E tudo ele oferece de graça.

- É pela graça e por sua infinita misericórdia.

- Portanto peça a Jesus.

- Converse com Jesus.

- Jesus te entende, ele sabe o que você precisa, mas ele quer te ouvir.

- Se achegue a Deus e ele se aproximará de você.

- A sua oração atrai a graça de Deus pra você.

- Você se sentirá como aqueles homens, maravilhados com a multiplicação dos pães e dos peixes.

- Todos nós precisamos compreender que o milagre da multiplicação deve primeiramente ser percebido no nosso interior, para depois contemplarmos do lado de fora.

 

 

 

 
       
 

Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil







 

 
Mais mensagens
Adicionar AD Jabaquara aos Favoritos