Home
 
 
 
     
  As Cinco Perguntas Que Nos Encorajam 

20/04/2015

 
  Rm. 8.31-37     
 
 

Int.: O Apóstolo Paulo escreveu esta Epístola aos Romanos, da cidade de Corinto, por ocasião da sua terceira viagem missionária. 

      Paulo nasceu em Tarso, de origem puramente judaica. Seu mestre foi o grande Gamaliel. Como todo menino hebreu, Paulo aprendeu um ofício, era fabricante de tendas. Em Jerusalém, Paulo esteve presente no apedrejamento de Estevão, que foi o primeiro mártir cristão. 

      Paulo, a caminho de Damasco, com a finalidade de perseguir os cristãos, esse jovem fariseu teve um encontro com Jesus Cristo, o qual mudou a sua vida, e nunca mais foi o mesmo. 

      Quem tem um encontro com Jesus, tem a sua vida transformada, e nunca mais volta a ser a mesma pessoa. 

      Depois da sua miraculosa conversão, Paulo foi batizado e recebeu a comissão de pregar o Evangelho. Paulo retirou-se para a Arábia, onde passou três anos em estudo e preparação. 

      Depois de trabalhar três anos em Tarso e um ano em Antioquia, Paulo dirigido pelo Espírito Santo, tornou-se no grande missionário aos gentios. Paulo tornou-se no principal cristão do primeiro século da Igreja. 

      Em suas três viagens missionárias, Paulo fundou muitas igrejas e escreveu suas Epístolas. 

      Mesmo Paulo tendo uma grande cultura, ele confiou inteiramente na graça de Deus e na direção do Espírito Santo para a sua vida. 

      Nesses versículos que temos lido, temos aqui o cântico de vitória do Apóstolo Paulo, e que também é de todo cristão: Deus é por nós. 

      Encontramos aqui cinco perguntas que nos encorajam; indagações vitoriosas, com respostas triunfais. 

      Não tem como observarmos essas perguntas e continuarmos tristes, abatidos, desanimados, desencorajados. As próprias respostas destas perguntas nos alegram, nos animam, nos encorajam. 

      Como cristão muitas vezes nos entristecemos, nos desanimamos, nos abatemos, nos sentimos desencorajados. E precisamos constantemente do renovo de Deus em nossa vida; do levantar de Deus em nossa vida; da renovação da promessa de Deus em nossa vida. 

      E esse cântico de vitória do Apóstolo Paulo, tem esse intuito, tem essa finalidade: nos animar, nos encorajar, nos levantar. 

Todos nós precisamos dessa Palavra de Deus em nossa vida. 

      Nós não somos super-crentes, infalíveis e perfeitos. 

      Somos crentes que dependemos da graça de Deus em nossa vida. 

I- Vejamos as Cinco Perguntas Que Nos Encorajam Neste Texto. 

1- Primeira Pergunta Que Nos Encorajam. 

V. 31: Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? 

- Quando Paulo pergunta: “Que diremos, pois, a estas coisas?” Que coisas? 

- Tudo quanto havia sido dito antes: Sobre a predestinação, a eleição, a justificação e a certeza da glorificação futura. 

- E Paulo completa a pergunta: “Se Deus é por nós, quem será contra nós?” 

- Deus é o criador do universo, da terra e de todo ser vivente. 

Sl. 24.1: Do Senhor é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam. 

- Como Deus criou todas as coisas, não existe nenhum ser mais poderoso do que Deus. 

- E aqui Paulo desafia com a sua pergunta: “Se Deus é por nós, quem será contra nós?” 

- O Senhor Deus é a nossa defesa. 

- Não há adversário, externo ou interno, outros homens, seres angelicais bons ou maus, adversidade ou sofrimento, perseguições, ou mesmo outros homens, que possam levar o crente à derrota espiritual. 

- Se Deus está na tua vida, não existe nada nem ninguém que possa te destruir. 

- Como é maravilhoso saber que Deus guerreia por nós. 

Ex. 15.3: O Senhor é varão de guerra; Senhor é o seu nome. 

- Nada pode contra Deus. 

- Se Deus é por nós, nada pode nos destruir. 

- O nosso Deus é tão grande, que Ele está assentado no trono nos céus e os seus pés estão na terra. 

Is. 66.1: Assim diz o Senhor: O céu é o meu trono, e a terra, o escabelo dos meus pés. 

- Olha o tamanho do Deus que nós servimos. 

- Não temas, nada é maior do que o Deus que você serve. 

- Deus está trabalhando por você. 

Is. 64.4: Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti, que trabalhe para aquele que nele espera. 

- Vale a pena esperar em Deus. 

- Vale a pena depositar a nossa confiança em Deus. 

- Para termos Deus por nós, temos que andar com Ele. 

- Esse é o caminho da benção. 

2- Segunda Pergunta Que Nos Encorajam. 

V. 32: Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes, o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas? 

- Temos aqui um argumento do maior para o menor. 

- Deus fez o mais difícil, deu o que Ele tinha de mais precioso, o seu Filho Jesus Cristo. 

- Se Deus fez aquilo que é maior, não deixará de fazer aquilo que é menor. 

- O que eu e você precisamos é menor do que aquilo o que Deus já fez. 

- O teu problema não é nada para Deus. 

- Ele tem todo o poder de operar em minha e na tua vida. 

- Receba esta palavra triunfante. 

3- Terceira Pergunta Que Nos Encorajam. 

V. 33: Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. 

Sl. 17.8: Guarda-me como à menina do olho, esconde-me à sombra das tuas asas. 

- Amado, o crente é como a menina dos olhos de Deus. 

- Mexeu com o salvo, mexeu com Deus. 

- É Deus quem guarda o crente. 

- É Deus quem peleja por nós. 

- Deus reprova e condena qualquer língua que se levanta contra o salvo. 

Is. 54.17: Toda ferramenta preparada contra ti não prosperará; e toda língua que se levantar contra ti em juízo, tu a condenarás; esta é a herança dos servos do Senhor e a sua justiça que vem de mim, diz o Senhor. 

- Deus compra a nossa briga. 

- Não precisamos nos justificar perante os homens; é Deus quem nos justifica. 

Rm. 5.1: Sendo, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus por nosso Senhor Jesus Cristo. 

4- Quarta Pergunta Que Nos Encorajam. 

V. 34: Quem os condenará? Pois é Cristo quem morreu ou, antes, quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós. 

- Olhando esta pergunta, eu vejo o crente numa sala de julgamento: Existe o promotor que é a pessoa jurídica de acusação; e nessa sala de julgamento, o Supremo Juiz é Deus. 

- Qualquer acusação que é feita contra o salvo cai por terra. 

- Porque Cristo sofreu a penalidade merecida por nossos pecados. 

- Perante o Supremo Juiz, ninguém pode nos acusar ou condenar; porque Jesus além de sofrer a pena em nosso lugar, Ele é o nosso advogado de defesa. 

- Diz aqui no V. 34: “O qual está à direita de Deus, e também intercede por nós”. 

I Jo. 2.1,2: Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o Justo. 

      E ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo. 

- O nosso advogado é o melhor advogado que possa existir. 

- Jesus é o advogado dos advogados. 

- A causa do promotor já ruiu por terra, porque Deus é por nós. 

5- Quinta Pergunta Que Nos Encorajam. 

V. 35: Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? 

- O fortalecimento que o crente recebe de Deus, por dentro e por fora, é suficiente para que o crente atravesse ileso quaisquer desastres. 

- Paulo aqui mostra que Deus estando na vida do crente, essas coisas não podem destruir espiritualmente o crente. 

- O salvo passa por muitas aflições e tribulações, mas Deus estando conosco, essas coisas não podem nos separar do amor de Cristo. 

- Paulo aqui mostra que as circunstâncias da vida, não podem destruir a fé do cristão. 

V. 37: Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou.


 


 

 
       
 

Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil







 

 
Mais mensagens
Adicionar AD Jabaquara aos Favoritos