Home
 
 
 
     
  A Conduta Digna do Cristão 

10/02/2015

 
  Ef. 4.1-4     
 

                                                                         

 

Int.- O Apóstolo Paulo escreveu essa Epístola quando estava prisioneiro por amor a Cristo, provavelmente em Roma. Paulo fala no capítulo três no versículo um: “Por esta causa, eu, Paulo, sou o prisioneiro de Jesus Cristo por vós, os gentios”. Paulo não dizia que era prisioneiro dos homens, mas prisioneiro de Jesus Cristo; porque Paulo sabia que estava fazendo a vontade de Deus. 

      Aqui no versículo um Paulo fala: “Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor”. O que alegrava Paulo é que ele sabia que estava no centro da vontade de Deus. Como é importante o crente estar no centro da vontade de Deus. 

      No centro da vontade de Deus tem: Alegria, tem paz, tem confiança, tem gozo, tem direção, tem bênçãos, tem vitórias. 

      Aceitamos a Jesus como Salvador para termos o perdão dos nossos pecados e alcançarmos vida eterna. Quando aceitamos a Jesus nascemos de novo, nossas vidas foram transformadas e passamos a ser novas criaturas em Cristo Jesus. Passamos a trilhar um novo e vivo caminho que Jesus traçou para nós. 

      Nossos hábitos mudaram, nossos gostos mudaram, nossos pensamentos mudaram, nosso linguajar mudou, nossos atos mudaram. Passamos a viver da maneira que agrada a Deus. 

II Co. 5.17: Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. 

      Nós passamos a ver a vida de uma maneira nova, de uma maneira diferente; tudo passou a ter um brilho novo para nós. O que era feio, passamos a ver como bonito; o que era sem graça, passamos a ver com graça; o que era sem vida, passamos a ver como algo vivo. Tudo isso porque o Espírito Santo de Deus passou a habitar em nós. 

      O brilho de Deus passou a irradiar em nós e passamos a ser sal e luz de Deus neste mundo. 

Mt. 5.14: Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte. 

II Co. 4.6: Porque Deus, que disse que das trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo. 

Mt. 5.16: Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos céus. 

- Deus espera que a nossa conduta e obras sejam condizentes de filhos de Deus. 

I- Andar de Acordo Com a Vocação Cristã. 

V.1: Andeis como é digno da vocação com que fostes chamados. 

- O andar do cristão aqui inclui sua conduta, suas atitudes e maneira de viver. 

- O Apóstolo Paulo aqui roga para que o crente proceda de acordo com a sua postura de filho de Deus; de acordo com a vocação com que fostes chamados. 

- O crente foi chamado por Deus para ser um cidadão do reino dos céus. 

A) Quais as Qualidades Que Esse Cidadão dos Céus Deve Possuir? 

1- Humildade. 

V. 2: Com toda a humildade. 

- Não apenas com uma parte, mas com toda a humildade. 

- Ser humilde. 

- Humildade é a virtude com que manifestamos o sentimento do nosso pouco mérito. 

- Não é fácil ser humilde. 

- O céu é para os humildes de espírito. 

Mt. 5.3: Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o Reino dos céus. 

- Ser humilde é ser pobre de espírito; é ser dependente de Deus. 

- Deus atenta para os humildes. 

Sl. 138.6: Ainda que o Senhor é excelso, atenta para o humilde; mas ao soberbo, conhece-o de longe. 

- Ser humilde não é andar com roupas amarrotadas e rasgadas; ser humilde não é ser pobre financeiramente. 

- Tem muito pobre orgulhoso, e muito rico humilde. 

- A humildade é uma virtude de um coração quebrantado e contrito. 

I Pe. 5.5: Semelhantemente vós, jovens, sede sujeitos aos anciãos; e sede todos sujeitos uns aos outros e revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. 

- A humildade é um vestimenta a qual o crente se apropria. 

- Aqui diz: “Revesti-vos de humildade”. 

2- Mansidão. 

V. 2: Com mansidão. 

- Mansidão: Brandura de gênio. 

- Mansidão no linguajar bíblico não é fraqueza, mas força. 

- Uma força que nos compele a fazer a vontade de Deus em face de qualquer adversidade. 

- Mansidão é um dos fruto do Espírito. 

- Mansidão é uma atitude para com Deus, não para com o homem. 

- É vertical, não horizontal. 

- Quando o crente vive esta virtude aqui na terra, ele está praticando uma atitude para com Deus. 

- Quando o crente está praticando a mansidão ele está glorificando a Deus. 

- A Bíblia diz que os mansos terão regozijo do Senhor em seus corações. 

Is. 29.19: E os mansos terão regozijo sobre regozijo no Senhor; e os necessitados entre os homens se alegrarão no Santo de Israel. 

- O cristão vivendo esta virtude tem recompensa de Deus em seu coração. 

- É difícil ser manso; a nossa carne, o nosso orgulho, quer reagir. 

- Somente com ajuda do Espírito Santo podemos viver essa virtude. 

Cl. 3.12: Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade. 

- O crente é um eleito de Deus, e é convidado a revestir-se de mansidão. 

3- Longanimidade. 

V. 2: Com longanimidade. 

- Paciência para suportar ofensas. 

- O crente é atacado sempre para se ofender. 

- A virtude está em suportar as ofensas. 

- Se o crente quer alcançar o plano mais alto a que Deus quer o levar, deve ter resistência espiritual. 

- Essa virtude também é um dos fruto do Espírito. 

Mt. 10.22: E odiados de todos sereis por causa do meu nome; mas aquele que perseverar até ao fim será salvo. 

- Ser longânimo é ser perseverante; é suportar as coisas. 

Hb. 3.14: Porque nos tornamos participantes de Cristo, se retivermos firmemente o principio da nossa confiança até ao fim. 

- Amados, essa resistência diante do sofrimento e das lutas é nos dada pelo Espírito Santo. 

4- Suportar o Nosso Semelhante. 

V. 2: Suportando-vos uns aos outros em amor. 

- Somente o Espírito Santo faz o crente suportar o seu irmão em Cristo. 

- O amor de Deus é derramado em nosso coração, que nos faz amar os nossos irmãos. 

Cl. 3.13,14: Suportando-vos uns aos outros e perdoando-vos uns aos outros, se algum tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também. 

      E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vinculo da perfeição. 

- Todos nós temos falhas e fraquezas; o perdão leva o crente a suportar o seu irmão. 

Hb. 13.1: Permaneça o amor fraternal. 

- Essa virtude é essencial para sermos um só corpo em Cristo Jesus. 

- Só conseguimos ser uma Igreja se suportarmos os nossos irmãos. 

I Pe. 1.22: Purificando a vossa alma na obediência à verdade, para amor fraternal, não fingido, amai-vos ardentemente uns aos outros, com um coração puro. 

- Me ame com um coração puro. 

- Aqui diz: Amai-vos ardentemente uns aos outros. 

- Além de amar, tem que amar ardentemente. 

- Amados, não é fácil ser crente. 

- Não é fácil praticar a Palavra de Deus. 

Conclusão: 

V. 4: Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação. 

- Só existe um corpo; uma só Igreja; a Igreja de Jesus Cristo. 

- Ande na vocação com que foste chamado. 

- Se Ele nos pede para andar é porque vai nos ajudar a cumprir essa Palavra.


 


 

 
       
 

Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil







 

 
Mais mensagens
Adicionar AD Jabaquara aos Favoritos