Home
 
 
 
 
 
 
 

10/01/2017 

                 A Verdadeira Fé Não Faz Acepção de Pessoas

Tg. 2.1-9

Int.- Aceitamos a Jesus Cristo como Salvador e passamos a fazer parte da família de Deus, quer dizer: fomos incluídos na família de Deus. O evangelho que aceitamos é um evangelho de inclusão e não de acepção de pessoas.

      Vivíamos distantes de Deus e isolados em nosso mundo pessoal, mas Jesus nos resgatou e nos incluiu como herdeiros de Deus.

Rm. 8.17: E, se nós somos filhos, somos, logo herdeiros também, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo; se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.

      Como salvos em Cristo Jesus, somos de famílias diferentes, classes sociais diferentes, profissões diferentes, cor de pele diferente, temperamentos diferentes, e em Cristo nos reunimos em uma só família, sem fazer discriminação, sem fazer acepção de pessoas, sem menosprezar ninguém.

- Quando nos reunimos somos o corpo de Cristo reunido para adorar a Deus.

I Co. 12.12: Porque, assim como o corpo é um e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também.

I Co. 12.13: Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito.

- Esse versículo é forte: “Todos fomos batizados em um Espírito, formando um corpo”.

- Não importa à nacionalidade, o estado, a cidade, a região, a língua, em Jesus somos um só corpo.

- Esse é o mistério do evangelho de Cristo Jesus para conosco.

V. 1: Não tenhais a fé de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da glória, em acepção de pessoas.

- Nós alcançamos essa fé em Cristo Jesus.

- Somos salvos em Cristo Jesus.

- Não podemos fazer acepção de pessoas, pois o Senhor não fez acepção conosco.

- A fé não faz acepção de pessoas.

- Não podemos julgar as pessoas pela sua aparência física, posição social, status, bagagem intelectual.

- Essas características não determinam o caráter.

I- Deus não Faz Acepção de Pessoas.

Dt. 10.17: Pois o Senhor, vosso Deus, é o Deus dos deuses e o Senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e terrível, que não faz acepção de pessoas, nem aceita recompensas.

- Deus nos olha todos do mesmo nível, como todos iguais perante Ele.

- Para Deus não há favorecimento por aparência externa, exibicionismo, qualidades superficiais, reputação autocriada, poder monetário, poder militar, poder politico, poder social.

- Aos olhos de Deus não tem ninguém que consiga mostrar que é superior ao outro.

- Diante de Deus somos todos iguais.

Dt. 1.17: Não atentareis para pessoa alguma em juízo; ouvireis, assim, o pequeno como o grande; não temereis a face de ninguém, porque o juízo é de Deus; porém a causa que vos for difícil fareis vir a mim, e eu a ouvirei.

- Quando Deus nos salvou, Ele não nos descriminou, não fez acepção de pessoas, chamou para a salvação, aquele que atendeu, recebeu a benção.

Rm. 2.11: Porque, para com Deus, não há acepção de pessoas.

- Jesus salvou a Maria Madalena que tinha sete demônios e era uma mulher leviana.

- Jesus salvou Mateus que era publicano e cobrador de imposto.

- Jesus salvou Lucas que era um médico na sociedade.

- Jesus salvou Pedro que era um simples pescador.

- Jesus salvou Zaqueu que era rico e teve a sua vida transformada.

- Jesus não olhou a aparência física, o poder aquisitivo, a influência na sociedade, Ele simplesmente salvou.

- Da mesma maneira Ele fez comigo e com você.

- Procure nesta noite alguém que se parece com você, dificilmente você vai encontrar, é isso que Deus fez conosco, Ele não fez acepção de nós.

- Jesus não foi ao mundo e escolheu os mais bonzinhos.

- Jesus não foi ao mundo e escolheu os mais religiosos.

- Jesus não foi ao mundo e escolheu os mais caridosos.

- Jesus não foi ao mundo e escolheu os menos problemáticos.

- Jesus foi ao mundo e chamou os pecadores ao arrependimento, e nesses, inclui eu e você.

II- A Fé Não Pode Fazer Acepção de Pessoas.

- Em Cristo a fé é imparcial.

- O evangelho serve para o judeu, para o grego, para o romano, para o inglês, para o japonês, para o australiano, para o africano, para o indiano, para o argentino, para o brasileiro, para todos, sem fazer descriminação.

I Tm. 2.3,4: Porque isto é bom e agradável diante de Deus, nosso Salvador.

      Que quer que todos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdade.

- Deus deseja que toda a humanidade se salve.

- Jesus através do seu sacrifício nos trouxe para perto de Deus.

- Jesus quebrou a parede de separação que estava no meio, e de ambos os povos fez um.

- Jesus desfez as inimizades que havia entre os povos e nos uniu em um corpo.

Ef. 2.13-16: Mas agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto.

      Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derribando a parede de separação que estava no meio.

      Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz.

      E, pela cruz, reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades.

- Quando o crente vive a verdadeira fé em Cristo Jesus, ele não faz acepção de pessoas.

Cl. 3.11: Onde não há grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas Cristo é tudo em todos.

- Em Cristo nós somos todos um só povo, um só corpo, somos todos iguais.

- Um respeito interesseiro, prestado a alguém, não é verdadeiro amor a esse alguém, pois se baseia em motivos egoístas.

- O remédio para não fazer acepção de pessoas é amar ao próximo como a nós mesmos.

V. 8: Todavia, se cumprirdes, conforme a Escritura, a lei real: Amarás a teu próximo como a ti mesmo, bem fazeis.

- Quando nós amamos ao nosso próximo nós não fazemos acepção de pessoas.

- Aqui em Tiago diz que fazer acepção de pessoas é pecado.

Tg. 2.9: Mas, se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado e sois redarguidos pela lei como transgressores.

- Para o crente é complicado fazer acepção de pessoas.

III- Características Bíblicas Sobre Acepção.

1- A Igreja Primitiva Era Solidária.

- Quer dizer: todos tinham tudo em comum.

- Todos se achavam iguais.

At. 2.44: E todos os que criam estavam juntos e tinham tudo em comum.

2- A Bíblia Fala Que Há Esperança Para o Pobre.

- O pobre não é desamparado por Deus.

- Deus o enxerga na sua situação e peleja a sua causa.

Jó 5.16: Assim, há esperança para o pobre; e a iniquidade tapa a sua própria boca.

- Deus compra a briga do pobre.

3- Há Um Paradoxo Divino a Respeito Desse Assunto.

I Co. 1.28: E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são para aniquilar as que são.

- Quando a grande maioria acha que Deus vai escolher os importantes da terra, Ele escolhe as coisas vis e as desprezíveis.

- Veja o grande paradoxo da escolha de Deus aos olhos dos homens.

4- Jesus é o Nosso Referencial de Humildade.

Fp. 2.3: Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo.

V. 4: Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros.

V. 5: De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus.

V. 6: Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus.

V. 7: Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens.

Conclusão: Conseguimos vencer quando somos servos.

- Jesus é o nosso grande exemplo a qual se humilhou e foi servo.

 

 
       
 

Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil







 

 
Mais mensagens
Adicionar AD Jabaquara aos Favoritos