A Necessidade de Um Cristianismo Autêntico                 09/08/2011    
Mt. 5.17-48                                                                         
                                                                           

Int.- Esses versículos que nós lemos, é uma parte do sermão da montanha; o sermão mais importante que Jesus proferiu no Seu ministério terreno.

      Neste sermão Jesus ensina como o filho de Deus deve proceder na sua vida para ser abençoado; Jesus ensina as leis do Reino de Deus, que são diferentes das leis do homem natural.

      As leis do homem natural, são leis baseadas na racionalidade, em conformidade com a lei da reciprocidade; aquilo que você me faz, eu também te faço.

      Mas as leis do Reino de Deus, são baseadas no amor, no perdão e na misericórdia; que são totalmente diferentes das leis do homem natural.

V.20- Jesus mostra que a nossa justiça deve exceder a dos escribas e fariseus, porque senão não entraremos no Reino dos céus.

- Fariseu era uma seita judaica que insistia no cumprimento rigoroso da lei.

- Escribas eram os chamados doutores da lei, ou interpretes da lei.

- Eles aparentavam uma certa religiosidade, uma certa fachada; exigiam até mesmo aquilo que não praticavam, mas o que faziam não era baseado no amor a Deus e nem em amor ao próximo.

- Por isso Jesus pediu que fôssemos melhores que os escribas e fariseus.

I- As Características do Verdadeiro Cristão.

      Para sermos plenamente abençoados por Deus, precisamos viver um cristianismo autêntico.

      Não podemos viver uma fachada de cristão só para inglês ver.

- Ou somos cristãos verdadeiros e completos ou não somos.

- Não existe meio cristão.

- Quem nos abençoa por aquilo que somos é Deus e não o homem.

- Podemos até mostrar uma fachada bonita para os homens verem. Mas o mais importante é o que Deus vê em nós.

Mt. 7.20- Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.

- Jesus está dizendo aqui que o crente é conhecido pelo seu fruto.

- Hoje no meio evangélico está havendo uma inversão de valores; as pessoas estão valorizando mais os dons do que os frutos; mais os dons do que o caráter.

 

Mt. 7.21-23- Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.

      Muitos me dirão naquele Dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E, em teu nome, não expulsamos demônios? E, em teu nome, não fizemos muitas maravilhas?

      E, então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.

- O cristianismo deve ser vivido com toda a seriedade, e em toda a sua plenitude.

- Temos que praticar toda a Palavra de Deus; e não somente aquelas partes que gostamos.

- Temos que ser o mesmo cristão em todo o lugar e em todo o tempo.

- Não somente aqui na Igreja, na hora do culto.

- Deus conhece toda a nossa vida, e aquilo que está em nosso coração.

- Podemos até enganar o homem, mas a Deus não tem como enganar.

- Muitos cristãos não são plenamente abençoados porque vivem uma vida dupla.

- Deus exige exclusividade nossa em servi-lo para nos abençoar.

- Não podemos estar com um pé na igreja e outro no mundo.

- Ou amamos a Deus e aborrecemos o mundo.

- Ou amamos o mundo e aborrecemos a Deus.

I Jo. 2.15-17- Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.

      Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.

      E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.

- Deus não abre mão que nós vivamos os seus princípios.

- Não podemos ser piedosos aqui dentro e mentirosos lá fora.

- Não podemos ser de oração aqui dentro e falarmos maus dos outros lá fora.

- Não podemos falar em línguas estranhas aqui dentro e sermos desonestos lá fora.

- Não conseguiremos as bênçãos de Deus, pelo simples fato de freqüentarmos os cultos da igreja.

- Como desencargo de consciência; como cumprindo a nossa parte.

- O que conta para Deus é como somos como cristãos no dia a dia.

- Não tem como enganar a Deus.

- Sendo um briguento lá fora e um santinho aqui dentro.

- O nosso culto é aceito por Deus, por aquilo que fazemos e por aquilo que somos.

Exemplo: Temos o exemplo da oferta trazida por Caim e outra por Abel.

Hb. 11.4- Pela fé, Abel ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho dos seus dons, e, por ela, depois de morto, ainda fala.

I Jo. 3.12- Não como Caim, que era do maligno e matou a seu irmão. E por que causa o matou? Porque as suas obras eram más, e as de seu irmão, justas.

- A diferença entre Caim e Abel estava nas obras, naquilo que eles faziam.

- A oferta de Caim era bonita, mas não foi nisto que Deus olhou.

- Como servos de Deus, nós devemos vigiar e nos cuidarmos muito, para não sermos como os fariseus.

- E outra coisa importante: Não podemos julgar e nem medir o cristianismo dos outros; cada um deve cuidar do seu cristianismo, que já é muito difícil.

Mt. 7.1-5- Não julgueis, para que não sejais julgados, porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós.

      E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão e não vês a trave que está no teu olho?

      Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu?

      Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho e, então, cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.

II- O Segredo de Alcançarmos as Bênçãos de Deus.

      O grande desejo de cada cristão é ser abençoado por Deus.

      E para isso muitos cristãos fazem campanhas; vão atrás de grandes pregadores; procuram esses segredo em muitos livros; procuram uma igreja onde a benção está sendo derramada.

- Mas o Evangelho é simples.

- O cristianismo é muito claro.

- Se nós agradarmos a Deus, a Sua benção será derramada sobre nós.

Ef. 5.17- Pelo que não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor.

- A vontade de Deus é que nós pratiquemos a Sua Palavra e vivamos os Seus princípios.

Tg. 1.21,22- Pelo que, rejeitando toda imundícia e acúmulo de malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar a vossa alma.

      E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos.

- Muitas vezes passamos a vida toda apanhando para aprendemos como ser abençoados.

- Muitas vezes seguimos conselhos errados; de pessoas fracassadas.

-As vezes pensamos que é complicado recebermos bênçãos.

- Mas a palavra chave da benção: é obediência.

- Obedecer é abrir mão do desejo da tua carne, para fazer a vontade de Deus.

- Obedecer é abrir mão dos teus sentimentos, para receber os sentimentos de Deus.

- Obedecer é renunciar a si mesmo, e seguir a Jesus.

- Um dos versículos que eu mais gosto.

Nee. 8.10- Disse-lhes mais: Ide, e comei as gorduras, e bebei as doçuras, e enviai porções aos que não têm nada preparado para si; porque esse dia é consagrado ao nosso Senhor; portanto, não vos entristeçais, porque a alegria do Senhor é a vossa força.

- A alegria do Senhor é a vossa força.

- Quando Deus se alegra você é abençoado.

- E quando Deus se alegra?

- Quando você faz a Sua vontade?

- Quando você vive os Seus princípios.

Conclusão: Quando somos cristãos verdadeiros e autênticos, não tem como Deus não nos abençoar. Deus é fiel a Sua Palavra. Deus simplesmente cumpre a Sua Palavra. O nosso grande desafio nos dias modernos, é o de ser um verdadeiro servo de Deus. Tudo a nossa volta conspira contra nós, para não vivermos os princípios de Deus. Mas aceitamos o desafio, e Deus nos ajudará, nos dando da Sua graça.
    

  Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil

 
Mais mensagens