Home
 
 
 
 
 
 
 

09/10/2018 

                             A Importância da Fé do Cristão                             

Gl. 3.19-29

Int.- Antes de Jesus Cristo vir a este mundo, os judeus viviam debaixo da lei. Porque a lei mostrava a transgressão dos homens e a necessidade do perdão através do sacrifício expiatório.

      Animais eram sacrificados para que os pecados dos homens fossem perdoados. Mas esses não eram sacrifícios perfeitos, porque eram sacrifícios de animais.

Hb. 10.4: Porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire os pecados.

      Mas vindo Jesus Cristo, Ele se tornou medianeiro da Nova Aliança.

      Jesus Cristo cumpriu a lei e estabeleceu o Novo Testamento.

V. 22: Mas a Escritura encerrou tudo debaixo do pecado, para que a promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos crentes.

      Agora no tempo da graça foi nos dada à fé em Jesus Cristo, para que possamos crer nele e firmamos nessa rocha inabalável.

V. 24: De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados.

- A lei foi nosso instruidor para nos conduzir a Cristo.

V. 25: Mas, depois que a fé veio, já não estamos debaixo de aio.

      A fé salvadora foi nos dada por Jesus Cristo através do seu sacrifício vicário na cruz do Calvário.

V. 26: Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus.

- Nascida no pecado, herdeira da miséria, a alma carece duma transformação radical, tanto por dentro como por fora; tanto diante de Deus como diante de si própria.

- A transformação diante de Deus denomina-se justificação.

- A transformação interna espiritual chama-se regeneração pelo Espírito Santo.

- Esta fé é despertada no homem pela influência do Espírito Santo.

- A fé lança mão da promessa divina e apropria-se da salvação.

- Ela conduz a alma ao descanso em Cristo como Salvador e Sacrifício pelos pecados.

- Concede paz à consciência e dá esperança consoladora do céu.

- Essa fé viva e de natureza espiritual é cheia de gratidão para com Cristo, ela é rica em boas obras de toda espécie.

Ef. 2.8: Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus.

V. 27: Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo.

- Veja que versículo importante esse.

- Como que de uma veste, é participar de seu caráter, mediante a comunhão espiritual com ele.

- Como a nossa fé está depositada em Jesus Cristo, então nós devemos nos revestir de Cristo.

Rm. 13.14: Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências.

- O crente revestido do Senhor Jesus Cristo tem o fruto do Espírito, tem um espírito de mansidão, tem um coração pacifico, tem um coração misericordioso.

I- A Natureza da Fé.

      A fé do crente nasce ao ouvir a Palavra de Deus.

Rm. 10.17: De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.

- O crente ouviu a pregação da Palavra de Deus e a fé nasceu em seu coração, e foi crescendo a cada dia.

- É uma fé viva que vem de Deus que alimenta o espírito do crente para a salvação.

Hb. 11.1: Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não veem.

A) O que é a fé viva?

 É aquela que tem obras, é aquela que não apenas acredita, mas pratica, vive o que crê, ama o que crê e baseia toda a sua vida no amor de Deus pela fé.

B) O que é a fé morta?

É o contrário da fé viva, não tem obras, não tem coragem de falar com Deus, de viver o que Deus preparou, não consegue amar genuinamente, é morta, não acredita 100% nos milagres de Deus, a fé morta é como uma prisão, onde a própria pessoa se prende as suas limitações e acredita que essas limitações são maiores do que Deus.

Gl. 3.11: E é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé.

- A lei não podia justificar ninguém diante de Deus.

- Aqui quando fala que o justo viverá da fé, está dizendo: que o justo viverá por sua fidelidade a Deus e a sua Palavra.

Gl. 3.14: Para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios, por Jesus Cristo, e para que pela fé nós recebamos a promessa do Espírito.

- Pela fé nós cremos na promessa do batismo com Espírito Santo prometido por Deus através dos seus profetas.

- Pela fé nós recebemos o batismo com o Espírito Santo.

Jo. 7.38: Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre.

- A fé é um meio fundamental para receber o batismo com Espírito Santo.

II- As Duas Formas de Fé Existentes.

1- A Fé Circunstancial.

- É aquela fé que depende daquilo que acontece a nossa volta.

- A fé circunstancial é física, é materialista, é palpável.

- A fé circunstancial depende dos sentimentos.

- A fé circunstancial é baseada naquilo que se vê, naquilo que está a sua volta.

- Depende de sol, de chuva, de frio, de calor, de fatores externos.

I Co. 15.19: Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens.

- Um grande exemplo bíblico de fé circunstancial foi a de Pedro quando ele quis andar sobre as águas, mas temeu ao ver as ondas e o vento, e afundou.

- A fé circunstancial não é a fé bíblica a qual o crente deve se basear.

- A fé circunstancial é uma fé curta de pouca duração, porque está baseada em fatos físicos e humanos.

- A fé circunstancial não trás nenhuma edificação ao crente.

- A fé circunstancial deixa o crente como o apostolo Tomé, um crente que queria ver para crer.

- Não seja um crente Tomé.

II Co. 5.7: Porque andamos por fé, e não por vista.

- Se você andar por vista você nunca vai crescer na fé.

- Se você andar por vista você sempre vai duvidar do que Deus pode fazer na sua vida.

II Co. 13.5: Examinai-vos a vós mesmos se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis, quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados.

- O crente deve fazer um exame próprio se está firme na fé.

2- A Fé Genuína.

- A fé genuína é a confiança verdadeira, pura, oriunda da alma na pessoa de pessoa Cristo e na sua Palavra, que transforma o pecador em santo adorador, unindo o seu espírito ao Espírito Santo.

- A fé genuína vem de Deus.

Hb. 12.2: Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus.

- A fé genuína é invisível.

- Ela não é palpável, você a não enxerga.

- A fé genuína consegue esperar.

Rm. 4.18: O qual, em esperança, creu contra a esperança que seria feito pai de muitas nações, conforme o que lhe fora dito: Assim será a tua descendência.

- Abraão esperou no tempo de Deus, já estava velho em idade, mas não duvidou da promessa de Deus.

- A fé genuína supera tudo.

- Seja lutas, perseguições, oposições, invejas, contradições.

- A fé genuína tem certeza e não duvida.

Rm. 4.21: E estando certíssimo de que, o que ele tinha prometido, também era poderoso para o fazer.

- Abraão estava crendo que Deus iria fazer o que prometera.

- A fé genuína se fortalece dando glória a Deus.

Rm. 4.20: E não duvidou da promessa de Deus por incredulidade, mas foi fortificado na fé, dando glória a Deus.

- Olha aqui uma grande arma para fortificar na fé, é dando glória a Deus.

- Dê gloria a Deus no meio da sua provação que a sua fé vai se fortificar.

- A fé genuína se baseia na promessa de Deus.

Is. 55.11: Assim será a palavra que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia; antes, fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a enviei.

- Se baseie na Palavra de Deus.

- O que Deus prometeu Ele cumpri em sua vida.

- A sua Palavra é fiel para se cumprir em sua vida.

- Tenha uma fé genuína no Senhor.

 

 

 

 

 

 
       
 

Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil







 

 
Mais mensagens
Adicionar AD Jabaquara aos Favoritos