Home
 
 
 
     
  O Culto Que Prestamos a Deus 

08/08/2015

 
  Mt. 27.11-14 
 
   
 
 

Rm. 12.1,2 

Int.: Aceitamos a Jesus como Salvador pessoal. Tivemos nossas vidas transformadas pelo Espírito Santo de Deus. Outrora vivíamos no pecado, longe de Deus e sem Jesus no coração. Mas Deus nos achou, nos escolheu, para que fossemos povo seu e ovelhas do seu pasto; fomos regenerados e justificados pelo sangue de Jesus, derramado na cruz do Calvário. 

Ef. 2.19: Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos e da família de Deus. 

      Agora fazemos parte da família de Deus. 

      E essa família de Deus se reúne para prestar culto a Deus; para adorar a Deus; para glorificar o Seu nome; para louvá-lo na beleza da Sua santidade. 

      Nós nos reunimos na Igreja, que é a Casa de Deus, para prestarmos-lhe culto. 

      A nossa vinda à Casa de Deus tem um propósito, tem um objetivo: Cultuar a Deus; adorar a Deus. 

      O culto é o encontro do homem com Deus. 

      No dicionário culto significa: Homenagem que se presta à divindade; adoração; veneração. 

      O culto foi praticado, pela primeira vez, pelo homem no jardim do Éden, onde Adão e Eva desfrutavam de momentos diários com Deus. 

      O propósito principal de todos que comparecem ao templo deve ser para prestar culto a Deus; para adorá-lo. 

      No momento que encontramos com Deus no culto, demonstramos nosso amor e compromisso com Ele, nos fortalecemos como corpo de Cristo, nos sujeitamos aos ensinos da sua Palavra. 

      No Antigo Testamento todos os atos do culto eram feitos por intermédio do sacerdote e eram necessários os sacrifícios de animais. No Novo Testamento todo crente é semelhante a um sacerdote, que, pelo sangue de Jesus, tem livre acesso à presença de Deus, e oferece sacrifícios espirituais ao Senhor. 

I Pe. 2.5: Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecerdes sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus, por Jesus Cristo. 

- O nosso sacrifício espiritual é a nossa adoração a Deus. 

- O nosso sacrifício agradável é o nosso culto que oferecemos a Deus. 

- Hoje nós somos casa espiritual; templo do Espírito Santo. 

I- O Culto Que o Crente Presta a Deus. 

- Aqui em Romanos Paulo fala: “Apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional”. 

- Culto racional é um culto que o crente presta com inteligência, sabe o que está fazendo. 

- E aqui Paulo fala: “Apresenteis”. 

- O culto nós apresentamos a Deus; nós oferecemos a Deus. 

- Não é Deus que faz um culto para nós desfrutarmos. 

- É o crente que oferece o culto a Deus para Ele receber. 

- Pedro fala “oferecerdes sacrifícios espirituais”; ele não está dizendo receber sacrifícios espirituais; mas fala em oferecer. 

- Nós erramos porque nos cultos nós nos colocamos como beneficiados. 

- Como se Deus fizesse um culto para nós. 

- É nós que temos que fazer um culto para Deus. 

Sl. 100.2: Servi ao Senhor com alegria e apresentai-vos a ele com canto. 

- O salmista fala aqui: “Apresentai-vos a ele com canto”. 

V. 4: Entrai pelas portas dele com louvor e em seus átrios, com hinos; louvai-o e bendizei o seu nome. 

- Quando aqui fala: “Entrai pelas portas dele louvor”, está falando da Casa de Deus, do lugar de culto, do lugar de adoração a Deus. 

- “E em seus átrios, com hinos”, está falando do templo, da Casa de Deus, da igreja. 

- O nosso objetivo maior em vir para a Casa de Deus: “É oferecer a Ele o nosso culto, a nossa adoração”. 

- Você não deve vir para receber, mas deve vir para apresentar, para oferecer o seu culto. 

- Quem vem para receber é o crente consumidor, aquele que é espectador. 

- Quem vem para oferecer o seu culto é o crente cooperador. 

- Seja um crente cooperador na presença de Deus. 

Ef. 5.19: Falando entre vós com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração. 

- Esses são os sacrifícios espirituais que o crente apresenta a Deus no seu culto. 

- O Apóstolo Paulo orientava a igreja de Corinto. 

I Co. 14.26: Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação. 

- O culto que nós prestamos a Deus, também nos edifica. 

- Deus nos abençoa com a Sua presença no culto que nós lhe oferecemos. 

V.1: “Que apresenteis o vosso corpo sacrifício vivo”. 

- Quer dizer nós viemos em corpo presente apresentar o nosso culto a Deus. 

- O sacrifício vivo, é nós sairmos de casa, e virmos para a Casa de Deus, apresentar-lhe o nosso culto a Ele. 

- É o mínimo que nós podemos fazer: Virmos para a Casa do Senhor. 

- O nosso culto é a oferta que lhe oferecemos em adoração. 

Gn. 4.3-5: E aconteceu, ao cabo de dias, que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor. 

      E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas e da sua gordura; e atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta. 

      Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o seu semblante. 

- Deus rejeitou a oferta de Caim porque não havia santidade de vida e não agradava a Deus. 

- A oferta de Abel foi aceita porque Abel vivia o seu dia a dia em santidade ao Senhor. 

I Jo. 3.12: Não como Caim, que era do maligno e matou a seu irmão. E por que causa o matou? Porque as suas obras eram más, e as de seu irmão, justas. 

- O nosso culto é aceito por Deus pelo nosso viver diário em temor ao Senhor. 

- Não adianta praticarmos todo tipo de iniquidade na semana e quando chega o final de semana, colocamos uma roupa bonita e vamos oferecer um culto a Deus. 

- A aceitação do nosso culto por Deus, depende da maneira que vivemos o nosso dia a dia. 

- Sirva a Deus em todos os dias da semana; tenha o temor de Deus em seu coração durante todos os dias da semana. 

- Deus se agrada da sinceridade do nosso coração. 

- Deus recebe o culto de um coração puro e sincero. 

- Nós viemos ao culto porque temos uma adoração a oferecer a Deus. 

- Quando não temos nada para oferecer a Deus, então não vamos ao culto. 

- Quem entende que o culto é nós que oferecemos a Deus, então compreende que quando não temos nada para oferecer faltamos. 

- Quem tem adoração a oferecer a Deus não escolhe que culto vai participar: Se é culto evangelístico, se é culto de doutrina, se é culto da mocidade, se é culto de libertação, se é culto de criança. 

- Ele simplesmente quer cultuar a Deus. 

- Quem escolhe que culto vai participar é crente consumidor, é um espectador.  

- Ele vem assistir ao culto e não vem oferecer um culto. 

- Mude o seu propósito e seja um cooperador na presença de Deus. 

- Deus está procurando adoradores que o adorem na sua presença. 

Jo. 4.23: Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, porque o Pai procura a tais que assim o adorem. 

- Deus está procurando os verdadeiros adoradores. 

- Seja um adorador verdadeiro de Deus. 

- Davi tinha alegria e prazer de estar na Casa de Deus prestando-lhe culto. 

Sl. 122.1: Alegrei-me quando me disseram: Vamos à casa do Senhor! 

- Davi tinha um grande amor e temor por Deus. 

Sl. 27.4: Uma coisa pedi ao Senhor e a buscarei: que possa morar na Casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do Senhor e aprender no seu templo. 

- Davi sabia que na Casa de Deus seria abençoado com a presença de Deus. 

- Davi sabia que na Casa de Deus ele aprendia da Palavra de Deus. 

- A Casa de Deus é um lugar de aprendizado. 

- Você oferece a sua adoração a Deus e é abençoado com a presença de Deus. 

- Cultue a Deus com um coração reto. 

- Cultue a Deus com alegria de coração. 

- Cultue a Deus de todo o teu coração. 

- E seja abençoado por Deus.

 

 

 

 
       
 

Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil







 

 
Mais mensagens
Adicionar AD Jabaquara aos Favoritos