Home
 
 
 
 
 
 
  Características do Verdadeiro Obreiro Chamado Por Deus       

07/08/2016   

 
  II Tm. 2.1-6    
 

 

Int.- O apóstolo Paulo ao escrever a Timóteo, seu filho na fé, impõe uma condição imperativa, para a árdua tarefa de liderar líderes: “Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus”. É provável que Timóteo liderava um grupo de presbíteros, que deveriam ensinar outros, conforme está escrito no verso dois.

V. 2: E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros.

      “Fortifica-te” aqui o verbo fortificar, está conjugado no imperativo do presente, portanto, não se trata de um aconselhamento, ou uma sugestão, mas uma ordem, ou determinação.

- O obreiro precisa se fortalecer na graça do Senhor Jesus para fazer a obra de Deus.

- Sem a graça somos infrutíferos no ministério.

      Paulo está mostrando a Timóteo com seu próprio exemplo que a graça é fundamental para trabalhar na obra de Deus. Comer bem, ser forte fisicamente, dormir bem, tudo isto é muito bom e faz parte, mas não resolve quando se trata da obra de Deus. Portanto é necessário ser fortalecido na “graça que há em Cristo Jesus” que nos salvou.

Ef. 2.8,9: Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus.

      Não vem das obras, para que ninguém se glorie.

- Pois é isto exatamente que o apóstolo Paulo enfatiza no capítulo 1 de II Timóteo e nos versos 8,9,10.

II Tm. 1.8-10: Portanto, não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor, nem de mim, que sou prisioneiro seu; antes, participa das aflições do evangelho, segundo o poder de Deus.

      Que nos salvou e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dos tempos dos séculos.

      E que é manifesta agora, pela aparição de nosso Salvador Jesus Cristo, o qual aboliu a morte e trouxe à luz a vida e a incorrupção pelo evangelho.

- Depois de dar o fundamento principal, que é a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o apóstolo Paulo começa já do verso três em diante, a falar das características do verdadeiro obreiro, ou adjetivos qualificativos, que identifica um verdadeiro obreiro de nosso Senhor Jesus Cristo.

I- Características do Verdadeiro Obreiro:

1- Sofredor.

V. 3: Sofre, pois, comigo, as aflições.

- A vida cristã normal, já é composta de aflições.

Jo. 16.33: Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.

- Estas aflições de que Jesus fala é pelo fato de que ser cristão é viver uma vida completamente diferente da cultura mundana em relação ao comportamento social de cada um, que é absolutamente diferente do padrão do mundo.

- Quando o Apóstolo Paulo diz para Timóteo, “sofre, pois, comigo”, Paulo está se referindo à agonia da chamada para ser um obreiro.

Tg. 1.12: Bem-aventurado o varão que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam.

- Quer dizer: feliz é aquele obreiro que sofre a aflição pela causa do Senhor.

Tg. 5.11: Eis que temos por bem-aventurados os que sofreram. Ouvistes qual foi a paciência de Jó e vistes o fim que o Senhor lhe deu; porque o Senhor é muito misericordioso e piedoso.

- Jó foi duplamente recompensado pelo seu sofrimento.

-Todo sofrimento que o obreiro passa na obra de Deus é galardoado por Deus.

Hb. 6.10: Porque Deus não é injusto para se esquecer da vossa obra e do trabalho da caridade que, para com o seu nome, mostrastes, enquanto servistes aos santos e ainda servis.

- Deus não se esquece nem da obra e nem da prova que o obreiro passa.

- O obreiro de Deus, na realidade, é um campeão de provas.

I Pe. 1.7: Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória na revelação de Jesus Cristo.

- Vemos aqui neste texto, a frase “Prova da vossa fé”, indicando que a fé para ser fé, só é fé, quando é precedida de prova.

- Vemos também neste texto, que a prova tem três estágios fundamentais que são: “Louvor, honra e glória”.

- O primeiro estágio, sem dúvida nenhuma é o mais difícil, pois implica em desprezar a afronta e em meio a grandes contrariedades, adorar a Deus com louvores e ação de graças.

- O Apóstolo Pedro nos diz que quando você sofre calado e com paciência, você alegra o coração de Deus.

I Pe. 2.20: Porque que glória será essa. Se pecando, sois esbofeteados e sofreis? Mas, se fazendo bem, sois afligidos e o sofreis, isso é agradável a Deus.

- Portanto amado obreiro, se você quer agradar a Deus, fazer com que o Senhor se alegre em você, sofra as provas, as lutas, as contrariedades com paciência e louvor, e então o Senhor te honrará, e verá a glória de Deus, e o sobrenatural do Senhor na tua vida, na tua saúde, na tua família e no teu ministério.

2- Bom Soldado.

V. 3: Como bom soldado de Jesus Cristo.

- Disciplina. O soldado tem um regulamento interno para seguir e obedecer, chamado RD, ou Regulamento Disciplinar. O Bom Soldado é:

a) Obediente: Obedece sem questionar.

Hb. 5.7-9: O qual, nos dias da sua carne, oferecendo, com grande clamor e lágrimas, orações e súplicas ao que o podia livrar da morte, foi ouvido quanto ao que temia.

      Ainda que era Filho, aprendeu a obediência por aquilo que padeceu.

      E, sendo ele consumado, veio a ser a causa de eterna salvação para todos os que lhe obedecem.

- Esse texto diz que o Senhor Jesus embora sendo filho, aprendeu a obediência por meio daquilo que sofreu.

- Vemos aqui que a salvação está relacionada com a obediência.

- Sem obediência, não há salvação.

b) O bom soldado é pontual.

- É sempre o primeiro que chega à igreja e o último que sai, principalmente os diáconos e os cooperadores.

c) O bom soldado tem postura.

- Está sempre bem arrumado, a roupa bem limpa, banhado e perfumado.

d) O bom soldado anda sempre armado com a Espada do Espírito Santo, a palavra da verdade.

e) O bom soldado está sempre alerta – Vigiando e orando, para não cair em tentação.

f) O bom soldado é incorruptível – Vive piamente e honestamente.

3- Atleta.

V. 5: E, se alguém também milita, não é coroado se não militar legitimamente.

- Aqui no grego usa o verbo “agonizomai”, indicando uma competição esportiva.

- Os jogos atléticos incluíam o recebimento da coroa feita de folhas e ramos.

- O atleta tem que cumprir alguns requisitos, para alcançar a coroa:

a) Disciplinado.

I Co. 9.24-27: Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis.

      E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível, nós, porém, uma incorruptível.

      Pois eu assim corro, não como a coisa incerta; assim combato, não como batendo no ar.

      Antes, subjugo o meu corpo e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado.

- O obreiro tem que ter tempo para a família, tempo para orar, tempo para ler e meditar na palavra de Deus,

b) Desafiante e corajoso.

- Assim como o atleta o obreiro precisa estar sempre pronto e aceitando os desafios que se apresentam na sua jornada.

Hb. 12.1: Portanto, nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas,, deixemos todo embaraço e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos, com paciência, a carreira que nos está proposta.

4- Lavrador.

V. 6: O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a gozar dos frutos.

- Principais características do lavrador:

a) Paciência: tudo espera; há o tempo de colher o que se plantou.

b) Semeia sempre a boa semente.

c) Semeia sempre no tempo certo.

- Nem antes e nem depois, mas no tempo certo.

Sl. 126.6: Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos.

5- Aprovado no Manejo da Palavra.

II Tm. 2.15: Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.

- O apóstolo Paulo vivia o que ensinava, quando pede a Timóteo para trazer os livros e os pergaminhos.

II Tm. 4.13: Quando vieres, traze a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, e os livros, principalmente os pergaminhos.

- O obreiro tem o dever de ser um exímio conhecedor das Escrituras.

- A ferramenta que o obreiro usa é a Palavra de Deus.

- Por isso o obreiro precisa ler e estudar regularmente a Palavra de Deus.

6- De Poucas Palavras.

V. 16: Mas evita os falatórios profanos, porque produzirão maior impiedade.

- Davi foi escolhido porque tinha esta qualidade.

I Sm. 16.18: Então respondeu um dos mancebos, e disse: Eis que tenho visto um filho de Jessé, o belemita, que sabe tocar e é valente, e animoso, e homem de guerra, e sisudo em palavras, e de gentil presença; o Senhor é com ele.

- Vemos aqui que uma das qualidades pela qual Davi foi escolhido, foi que era sisudo em palavras. O rei não podia ter um assistente falador.

- Sisudo: Que tem bom siso, juízo, sensato, prudente, sempre pronto para ouvir do que falar.

Tg. 1.19: Sabeis isto, meus amados irmãos; mas todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar.

- O Obreiro precisa ser cuidadoso com suas palavras.

Pv. 25.11: Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo.

- A palavra deve ser dita a seu tempo, e quando falar, falar pouco.

- Quem fala muito tem mais chance de errar.

Ec. 5.2: Não te precipites com a tua boca, nem o teu coração se apresse a pronunciar palavra alguma diante de Deus; porque Deus está nos céus, e tu estás sobre a terra; pelo que sejam poucas as tuas palavras.

- O obreiro não pode ser precipitado em coisa alguma, principalmente em suas palavras.

7- Vaso de Honra.

V. 21: De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda boa obra.

- O obreiro é um vaso santificado para ser usado por Deus na sua obra.

- Nós somos um vaso de barro que carregamos o grande tesouro que é a glória de Deus.

II Co. 4.7: Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós.

- O obreiro precisa ser um vaso de honra para Deus.

- Vaso tem de todo tipo: Que embeleza, que enfeita, que ocupa espaço, que guarda flores.

- Precisamos ser um vaso útil para o Senhor na sua obra.

- Aqui diz: “Preparado para toda boa obra”.

8- Resistente aos Anseios da Carne.

V. 22: Foge também dos desejos da mocidade; e segue a justiça, a fé, a caridade e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor.

- O obreiro precisa vigiar para não dar lugar as paixões da carne, da natureza pecaminosa.

- Temos um combate diário contra os desejos da nossa carne que procura nos vencer.

- O obreiro que anda na carne não tem sucesso no seu ministério.

Rm. 8.8: Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus.

- O obreiro para dar frutos para Deus precisa vencer a sua carne com suas concupiscências.

- O obreiro para vencer a carne precisa ser de oração; precisa consagrar a sua vida a Deus.

Gl. 5.16: Digo, porém: Andai em Espírito e não cumprireis a concupiscência da carne.

- O grande desafio para o obreiro nos dias de hoje é andar no Espírito.

- A carne leva o obreiro a se distanciar de Deus.

- A carne leva o obreiro ao materialismo.

- A carne leva o obreiro a abandonar a leitura da bíblia e a oração.

- Nós obreiros precisamos ser resistentes aos anseios da carne, se não, vamos nos tornar em obreiros frios, infrutíferos, sem a graça de Deus.

- Deus precisa de obreiros fervorosos de espírito servindo ao Senhor.

- Deus precisa de obreiros que andem no Espírito.

9- Evita Discussões.

V. 23: E rejeita as questões loucas e sem instrução, sabendo que produzem contendas.

- Tem obreiro que fica discutindo se Paulo era casado, ou quem veio primeiro, se a galinha ou o ovo. Coisas absurdas e desnecessárias.

- Nós obreiros, não convém estas coisas.

- A palavra rejeita no grego é paraiteomai, que significa repelir, repudiar.

- Evitar discussões tolas com homens ignorantes que não levam a nada.

- Essas práticas não promovem a piedade e minam a fé dos que a ouvem.

10- Servo.

V. 24: E ao servo do Senhor não convém contender, mas, sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor.

- O servo só se alegra em servir, só faz o que o seu dono quer, e lhe obedece incondicionalmente.

- Nosso maior exemplo é o nosso Senhor Jesus Cristo.

Fp. 2.5-8: De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus.

      Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus.

      Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens.

      E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte, e morte de cruz.

- Todo obreiro deve ser um servo do Senhor Jesus Cristo.

- O servo não tem vontade própria, mas faz o que o seu Senhor quer.

- Quando somos servos do Senhor então frutificamos na obra de Deus.

- O servo não é responsável pelos resultados do seu trabalho, mas sim o seu Senhor.

- O servo não tem vaidade, porque o trabalho não é seu e sim do seu Senhor.

- Não é fácil o obreiro ser servo, porque terá que abrir mão de seus desejos e de suas vaidades.

- Deus precisa de obreiros servos na sua obra.

- Sejamos obreiros servos para Deus na sua obra.

- Essas são características do verdadeiro obreiro da obra de Deus.

 

 

 
       
 

Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil







 

 
Mais mensagens
Adicionar AD Jabaquara aos Favoritos