Home
 
 
 
 
 
 
 

07/03/2017 

                 Os Passos Para a Vitória Em Tempos de Crise                 1

II Cr. 20.1-22

Int.- Josafá e toda a nação de Judá estavam em grande aperto. A Palavra de Deus nos diz que o rei Josafá “andou no caminho de Asa, seu pai, e não se desviou dele, fazendo o que era reto perante o Senhor”.

II Cr. 20.32: E andou no caminho de Asa, seu pai, e não se desviou dele, fazendo o que era reto aos olhos do Senhor.

- Quer dizer Josafá temia a Deus, Josafá era crente.

      No entanto, mesmo um rei como ele, que tomou medidas importantes quanto à justiça e à vida religiosa da nação de Judá, buscando colocar sua vida e a de todo o povo na presença de Deus, teve seus momentos dramáticos, de grandes dificuldades e aperto.

      No texto que temos lido Josafá esteve diante de uma situação de medo, insegurança e desespero, quando se viu diante dos exércitos dos moabitas e dos amonitas. Apesar disso, ele buscou em Deus a saída e saiu vitorioso.

      Sabemos que nesses dias que precedem o fim dos tempos, os exércitos inimigos se levantam contra a Igreja de Jesus, procurando obter vitórias, levando muitos cristãos para situações semelhantes à de Josafá.

      É nessa hora que podemos observar as várias formas com que muitas pessoas se portam em tempos de crise: uns murmuram, outros  reclamam de Deus por permitir que tais coisas aconteçam, outros abandonam a fé, a Igreja e seus projetos de permanecerem na presença do Senhor, mas outros, no entanto, buscam uma saída correta, agem como Josafá, que deu alguns passos estratégicos que o conduziram à vitória.

I- Josafá Reconheceu a Sua Situação e Foi Buscar Socorro no Senhor.

V. 3: Então Josafá temeu e pôs-se a buscar o Senhor; e apregoou jejum em todo o Judá.

- Josafá temia a Deus.

- Josafá era um servo do Deus Altíssimo.

- Josafá fez o que todo crente deve fazer em tempo de crise: buscar ao Senhor.

- Não podemos nos acovardar nos momentos de crise.

Pv. 24.10: Se te mostrares frouxo no dia da angústia, a tua força será pequena.

- A verdade é que há momentos em que até o rei tem medo, até crente, cheio do poder, tem medo.

- Aqui a Bíblia fala que Josafá temeu.

- É um erro grave não confessar isso diante do Senhor, pois pode sinalizar uma espiritualidade falsa.

- Confessar a Deus e buscar a solução é uma coisa, viver em função do medo é outra.

- Como filhos do Deus vivo, não podemos ser paralisados e vencidos pelo medo.

- Nossos medos, ao contrário, devem nos levar a buscar mais ao Senhor, e jamais fugir dele ou da batalha, como muitos fazem, abandonando o Senhor, a fé, a Igreja, os amigos.

II Tm. 1.7: Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação.

- Toda crise deve nos levar a buscar do Senhor, à permanência com o povo de Deus.

- É preciso parar de murmurar, de reclamar da situação.

- A solução vem quando nos ajuntamos para buscar no Senhor a saída e a vitória.

- Na hora da crise é necessário o ajuntamento da família, do discipulado, da Igreja em jejum e oração diante do Deus de poder e das maravilhas.

Sl. 121.1,2: Elevo os meus olhos para os montes; de onde me virá o socorro?

      O meu socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra.

II- Josafá Trouxe à Memória as Alianças e as Promessas de Deus.

V. 7: Porventura, ó Deus nosso, não lançaste tu fora os moradores desta terra de diante do teu povo Israel, e não a deste à semente de Abraão, teu amigo, para sempre?

- Josafá estava lembrando a aliança que Deus fizera com Abraão de dar aquela terra para sempre.

- A questão não era se Deus tinha se esquecido ou não das Suas palavras, porque isto é impossível (a única coisa de que Deus se esquece é dos nossos pecados confessados e arrependidos).

- Confessar as alianças e promessas de Deus é para que nos lembremos de que Ele tem compromisso conosco, o que nos fortalece e conforta.

Lm. 3.21: Disto me recordarei no meu coração; por isso, tenho esperança.

      A confissão das alianças e promessas de Deus tem dois efeitos tremendos:

1- Enchem os céus sobre as nossas cabeças com sementes de vitória.

- Tirando os nossos olhos das circunstâncias e do inimigo, e fazendo-os voltar para o Senhor.

2- As alianças e promessas de Deus são decretos proféticos contra as crises.

- Porque se tornam palavras de ordem contra a voz do inimigo, neutralizando o caos que toda crise quer instalar.

V. 20: Crede no Senhor, vosso Deus, e estareis seguros; crede nos seus profetas e prosperareis.

- Ouça a voz de Deus e crede nos profetas de Deus.

Nm. 23.19: Deus não é homem, para que minta; nem filho de homem, para que se arrependa; porventura diria ele, e não o faria? Ou falaria, e não o confirmaria?

- Podemos estar certo que as promessas de Deus são fieis e Ele as cumpre todas no seu tempo.

- Quando estamos desanimados e tristes, Deus nos faz lembrar de suas promessas para nos animar e nos alegrar.

III- Josafá se Colocou na Posição Certa, Por Isso Ouviu o Consolo e as Estratégias do Senhor.

V. 17: Nesta peleja, não tereis que pelejar; parai, estai em pé e vede a salvação do Senhor para convosco, ó Judá e Jerusalém. Não temais, nem vos assusteis; amanhã saí-lhes ao encontro, porque o Senhor será convosco.

- Como é bom saber que o Senhor cuida de nós e toma para si as nossas batalhas.

- Estando com o Senhor, as nossas batalhas não são nossas, são do Senhor.

- Josafá ouviu a Deus.

- Quando nós ouvimos a Deus não tem como nós errarmos.

Ap. 3.11: Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.

- Tem crente que não tem ouvidos espirituais para ouvir a Deus.

- Quando nós ouvimos a direção de Deus tudo se resolve.

- Deus deu a estratégia a Josafá para aquela batalha.

IV- Josafá Adorou, Obedeceu e Provou a Vitória.

V. 22: E, ao tempo em que começaram com júbilo e louvor, o Senhor pôs emboscadas contra os filhos de Amom e de Moabe e os das montanhas de Seir, que vieram contra Judá, e foram desbaratados.

- Não basta saber quem o Senhor é e nem o que Ele pode fazer.

- É preciso agir! Tomar uma atitude de fé, atitude de vencedor no Senhor!

- Se o Senhor já falou, só nos resta obedecer, isto é, por em prática Seus conselhos e assumir uma atitude de louvor e adoração.

- Obediência assim mostra que descansamos nele, em plena crise, porque sabemos que a nossa vitória é certa.

- Até porque adoração, obediência e fé andam de mãos dadas e são garantia de vitória para os santos de Deus.

- É possível que você esteja passando por alguma crise.

- Talvez esteja lutando contra as hostes da maldade, enfrentando batalhas ferrenhas no casamento, na família, nas finanças.

1- Primeiro, você precisa tomar a decisão de ser vencedor.

Rm. 8.37: Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou.

2- Segundo, creia que nem toda crise é selo de fracasso, caminho errado ou perda de unção.

Jo. 16.33: Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.

- Josafá estava fazendo tudo certo e a crise bateu na sua porta.

3- Terceiro, é claro que o Senhor pode nos livrar das adversidades, mas, em geral, quando Ele permite, é porque Ele quer glorificar o Seu nome no meio da crise e nos dar a vitória mais expressiva da nossa vida.

Rm. 8.28: E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto.

Conclusão:

- Siga os passos de Josafá e saia vitorioso. Já lhe ocorreu que talvez o Senhor queira lhe dar mais experiência e maturidade, preparando você para coisas maiores, mais profundas, para conquistar territórios mais amplos?

 

 

 

 
       
 

Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil







 

 
Mais mensagens
Adicionar AD Jabaquara aos Favoritos