A ESPERANÇA DO CRENTE
Salmos 33.1-22 
                                                                

06/12/2011
 

Int.- Uma das características do crente salvo em Cristo Jesus e que está em plena comunhão com Deus é a “Esperança”; é esta virtude que mantém o crente firme na fé esperando o cumprimento das promessas de Deus.

      A esperança, pela sua própria natureza, diz respeito ao futuro.

Rm. 8.24,25- Porque, em esperança, somos salvos. Ora, a esperança que seve não é esperança; porque o que alguém vê, como o esperará?

      Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o esperamos.

      A esperança abrange muito mais do que uma simples vontade ou anseio por algo futuro. Esta esperança consiste numa certeza na alma, uma firme confiança sobre as coisas futuras, porque tais coisas decorrem da revelação e das promessas de Deus. Em outras palavras, a esperança bíblica do crente está intimamente vinculada a uma firme fé em Deus.

Rm. 15.13- Ora, o Deus de esperança vos encha de todo o gozo e paz em crença, para que abundeis em esperança pela virtude do Espírito Santo.

Hb. 11.1- Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não vêem.

- A esperança está vinculada a uma sólida confiança em Deus.

Sl. 33.20-22- A nossa alma espera no Senhor; ele é o nosso auxilio e o nosso escudo.

      Pois nele se alegra o nosso coração, porquanto temos confiado no seu santo nome.

      Seja a tua misericórdia, Senhor, sobre nós, como em ti esperamos.

- O salmista aqui expressa claramente este fato mediante um paralelo entre confiança e esperança.

- Confiança e esperança estão intimamente ligadas.

- Para poder esperar nós temos que confiar.

Sl. 146.5- Bem aventurado aquele que tem o Deus de Jacó por seu auxilio e cuja esperança está posta no Senhor, seu Deus.

Jr. 17.7- Bendito o varão que confia no Senhor, e cuja esperança é o Senhor.

- É esta esperança que nos mantém na presença de Deus.

- Se não fosse esta esperança nós não mais estaríamos na casa de Deus.

- A esperança firme do crente é uma esperança que não traz confusão.

Rm. 5.5- E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nosso coração pelo Espírito Santo que nos foi dado.

Sl. 22.4,5- Em ti confiaram nossos pais; confiaram, e tu os livraste.

      A ti clamaram e escaparam; em ti confiaram e não foram confundidos.

- Amados, a esperança é uma âncora para o crente atravessar a vida.

Hb. 6.18,19- Para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos a firme consolação, nós, os que pomos o nosso refugio em reter a esperança proposta.

      A qual temos como âncora da alma segura e firme e que penetra até ao interior do véu.

- Esta âncora chamada esperança nos segura nos momentos de tempestade que vem sobre a nossa vida.

I- A Base da Esperança do Crente.

      A base da esperança do crente procede da natureza de Deus, de Jesus Cristo e da Palavra de Deus.

1- As Escrituras revelam como Deus sempre foi fiel, no passado, ao seu povo.

- Os testemunhos bíblicos que temos da fidelidade de Deus, faz que tenhamos esperança.

Sl. 22.4- Em ti confiaram nossos pais; confiaram, e tu os livraste.

2- A plenitude da revelação do Novo Concerto em Jesus Cristo é mais uma razão da nossa esperança inabalável em Deus.

I Pe. 1.3- Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos.

- Nós fomos gerados para uma viva esperança.

3- A Palavra de Deus é a terceira base da esperança do crente.

      Deus revelou Sua Palavra através dos profetas e apóstolos no passado. Ele os inspirou pelo Espírito Santo para escreverem sem erros.

II Tm. 3.16- Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça.

II- A Suprema Esperança do Crente.

      A suprema esperança e confiança do crente não deve estar em seres humanos.

Sl. 33.16,17- Não há rei que se salve com a grandeza de um exército, nem o homem valente se livra pela muita força.

      O cavalo é vão para a segurança; não livra ninguém com a sua grande força.

- O Senhor está mostrando aqui que é inútil confiar no homem.

- A esperança do crente não deve estar em bens materiais e nem em dinheiro.

Sl. 20.7- Uns confiam em carros, e outros, em cavalos, mas nós faremos menção do nome do Senhor, nosso Deus.

I Tm. 6.17- Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que abundantemente nos dá todas as coisas para delas gozarmos.

III- Em Que Consiste a Esperança do Crente?

1- Temos esperança na graça de Deus e no livramento que Deus nos oferece, nas horas das tribulações desta vida.

Sl. 33.18,19- Eis que os olhos do Senhor estão sobre os que o temem, sobre os que esperam na sua misericórdia.

      Para livrar a sua alma da morte e para os conservar vivos na fome.

2- Temos esperança de que chegará o dia em que nossas tribulações cessarão aqui na terra, quando teremos a redenção do nosso corpo.

Rm. 8.18-25.

3- Temos esperança na consumação da nossa salvação.

I Ts. 5.8- Mas nós, que somos do dia, sejamos sóbrios, vestindo-nos da couraça da fé e da caridade e tendo por capacete a esperança da salvação.

4- Temos a esperança de uma casa eterna no novo céu.

II Pe. 3.13- Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça.

5- Temos a bendita esperança da vinda gloriosa do nosso Grande Deus e Salvador, Jesus Cristo.

Tt. 2.13- Aguardando a bem aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo.

6- Temos a esperança da vida eterna.

Tt. 1.2- Em esperança da vida eterna, a qual Deus, que não pode mentir, prometeu antes dos tempos dos séculos.

Conclusão: O crente sempre deve estar preparado para responder a qualquer um, a esperança que há nele. (I Pe. 3.15)

 

  Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil

 
Mais mensagens