Home
 
 
 
 
 
 
 

06.12.2016

O Tesouro no Céu

Mt. 6.19-34

Int.- Aceitamos a Jesus como salvador pessoal para entrarmos no céu, mas continuamos a viver neste mundo, a nossa vida cristã, a vida familiar, a vida financeira, atravessando essa vida para chegarmos no céu.

      Vivendo aqui no mundo temos uma vida normal como qualquer pessoa, com sonhos e desejos. De adquirirmos casa, carro, conforto, viajarmos e prosperarmos.

      E como cristão Jesus nos ensina no sermão do monte a buscarmos primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas nos serão acrescentadas.

      Vivemos numa época de materialismo crescente, onde as pessoas estão em busca de riquezas, de adquirir bens, em busca de conforto, onde o individualismo tem prevalecido na sociedade. As pessoas estão preocupadas com o seu futuro material. Nunca antes vimos uma sociedade tão fria e tão materialista como esta. Os gerentes dos bancos ligam para os correntistas indicando as melhores aplicações do seu dinheiro; recebemos varias ligações diárias de bancos oferecendo cartões de créditos; recebemos ligações diárias de cal centers oferendo produtos para comprarmos.

      Estamos rodeados por uma sociedade consumista, materialista, secularista e individualista e sem Deus.

      Hoje há muitas pessoas doentes porque estão endividadas; e há pessoas doentes porque não conseguem ter o que gostariam de ter.

      O dinheiro e a riqueza não trazem felicidade, podem trazer conforto; mas podem trazer muita perturbação de espírito.

      O importante é não deixar o materialismo invadir o coração.

V. 21: Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.

      O nosso tesouro é a nossa comunhão com Deus.

      O nosso tesouro é a nossa salvação eterna.

      No sermão do monte Jesus nos mostra onde devemos investir.

V. 19: Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam.

      Jesus mostra a importância de investir no céu, no galardão eterno, naquilo que é eterno, naquilo que não se consome, onde ninguém pode roubar.

I- A Falibilidade dos Bens Terrenos.

- Em São Lucas 12 na Parábola do Rico Insensato Jesus mostra a falibilidade de confiar nos bens terrenos.

V. 20: Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma, e o que tens preparado para quem será?

V. 21: Assim é aquele que para si ajunta tesouros e não é rico para com Deus.

- O homem da parábola era rico para si, mas não era para com Deus.

A) Os bens materiais podem trazer conforto, mas não podem comprar a salvação.

- Um jovem rico veio até Jesus perguntando: Que hei de fazer para herdar a vida eterna?

- Jesus citou para eles os mandamentos e ele disse que observava desde a mocidade.

- Disse-lhe Jesus: Ainda te falta uma coisa: Vende tudo quanto tens, reparte-o pelos pobres e terás um tesouro no céu; vem e segue-me.

- Mas, ouvindo ele isto, ficou muito triste, porque era muito rico.

- O problema é que as riquezas estavam no coração daquele jovem.

- Aquele jovem perdeu a salvação por causa dos seus bens.

- Quantas pessoas estão na mesma situação deste jovem, não abre mão do seu tesouro material, pelo tesouro celestial.

B) A Cobiça pelos bens materiais pode levar o crente a se abater espiritualmente e até desviar da fé.

I Tm. 6.10: Porque o amor do dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.

- Tem muito crente sofrendo porque cobiçou, entrou numa divida, e agora está passando por muitos apertos.

- Jesus nos ensina a planejar os nossos gastos na parábola da previdência.

Lc. 14.28: Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar?

- A nossa vida material influi em nossa vida espiritual e vice-versa.

- Precisamos buscar um equilíbrio para não nos tornarmos materialistas.

- Os tempos modernos de hoje contribui para um materialismo crescente, lute para continuar tendo um coração espiritual.

I Tm. 6.17-19: Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que abundantemente nos dá todas as coisas para delas gozarmos.

      Que façam bem, enriqueçam em boas obras, repartam de boa mente, e sejam comunicáveis.

      Que entesourem para si mesmos um bom fundamento para o futuro, para que possam alcançar a vida eterna.

II- A Importância de Ajuntar Tesouro no Céu.

1- Jesus diz que os tesouros da terra são efêmeros.

- Quer dizer: que tem pouca duração.

V. 19: Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consumem, e onde os ladrões minam e roubam.

- Tudo o que é terreno é passageiro, tem um tempo de existência.

- Os bens materiais se consomem, se acabam.

- Os bens comprados se enferrujam, se destroem com o tempo.

2- Jesus nos convida a ajuntar tesouros no céu.

V. 20: Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam.

- O tesouro no céu não se acaba, ele é eterno.

- O tesouro no céu não pode ser roubado, ele é guardado por Deus.

- O tesouro no céu não se enferruja e nem se estraga.

A) Por que muitos crentes não ajuntam tesouros no céu?

- Porque não tem liquidez imediata.

- Você aplica no banco do céu e vai receber na eternidade quando subir para o céu.

- No banco tem vários tipos de aplicações:

a) Você pode aplicar em ações que é uma aplicação a longo prazo, você sacará depois de alguns anos.

b) Você pode aplicar numa previdência privada, durante cinco anos você não pode sacar se não você perde do valor aplicado, poderá sacar depois de cinco anos.

c) Você pode aplicar numa caderneta de poupança que tem rendimento depois de trinta dias.

d) Você pode aplicar no CDB que tem rendimento diário e pode sacar em qualquer dia.

- A ansiedade e a pressa humana, faz aplicar nessas aplicações de liquidez imediata.

 

III- Como o Crente Pode Ajuntar Tesouros no Céu?

1- Plantando Coisas Boas.

- Todo o bem que fizermos em nome do Senhor resultará em tesouros ajuntados no céu.

II Ts. 3.13: E vós, irmãos, não vos canseis de fazer o bem.

- Além de nos sentirmos bem em nosso interior em fazer o bem, ajuntamos tesouros no céu.

Gl. 6.9: E não cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido.

2- Perdoando as Pessoas.

- O perdão ao seu semelhante é um grande tesouro que o crente deposita no céu.

Cl. 3.13: Suportando-vos uns aos outros e perdoando-vos uns aos outros, se algum tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também.

- Precisamos tirar o orgulho do coração e perdoar o nosso semelhante.

Hb. 12.14: Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor.

3- Exercitando a Misericórdia Ajudando os Necessitados.

Mt. 5.7: Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia.

- Misericórdia é um sentimento de dor e solidariedade em relação a alguém; é a benevolência para com alguma pessoa.

Lc. 6.36: Sede, pois, misericordiosos, como também vosso Pai é misericordioso.

- O crente que é misericordioso está ajuntando tesouro no céu.

4- Exercitando a Justiça.

Mt. 5.6: Bem-aventurados os que tem fome e sede de justiça, porque eles serão fartos.

- O crente que procura a retidão, aquilo que é direito, aquilo que é justo, aquilo que é correto, esse ajunta tesouro no céu.

- Aquele crente que faz justiça ao órfão e a viúva.

Is. 1.17: Aprendei a fazer o bem; praticai o que é reto, ajudai o oprimido, fazei justiça ao órfão, tratai da causa das viúvas.

- Isso é viver a plenitude da vida dos valores espirituais do próprio céu.

- Servimos um Deus de justiça, e quando fazemos justiça estamos vivendo a natureza de Deus na terra e glorificando o Seu nome.

5- Ganhando Almas Para o Reino dos Céus.

- Quanto mais pessoas ajudarmos a levar para o céu, mais tesouros ajuntaremos lá.

Jd. 23: E salvai alguns, arrebatando-os do fogo; tende deles misericórdia com temor, aborrecendo até a roupa manchada da carne.

- Esse é o maior investimento que o crente faz enquanto está aqui na terra.

- Quando você contribui para missões, você está investindo na salvação de almas.

- Esse é o investimento mais inteligente que o crente pode fazer na sua vida.

Pv. 11.30: O fruto do justo é árvore de vida, e o que ganha almas sábio é.

- Você é um crente inteligente?

- Você é um crente sábio?

- Onde você está ajuntando o seu tesouro?

Os. 10.12: Semeai para vós em justiça, ceifai segundo a misericórdia; lavrai o campo de lavoura; porque é tempo de buscar o Senhor, até que venha e chova a justiça sobre vós.

Conclusão: O tesouro terreno perece e fica por aqui mesmo, onde a traça consome e os ladrões roubam e minam; mas o tesouro no céu nem a traça nem a ferrugem consomem, nem os ladrões minam e nem roubam, esse tesouro permanece para sempre.

 

 

 

 
 
       
 

Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil







 

 
Mais mensagens
Adicionar AD Jabaquara aos Favoritos