Home
 
 
 
 
 
 
 

06/06/2017 

                                      A Armadura de Deus                                      

Ef. 6.10-18

Int.- Aceitamos a Cristo como salvador pessoal e tivemos a nossa vida transformada, fomos regenerados e tendo o nosso nome escrito no livro da vida.

      Como cristão passamos a estar engajado num conflito espiritual contra o mal. Esse conflito é descrito como combate da fé do cristão.

I Tm. 6.12: Milita a boa milícia da fé, toma posse da vida eterna, para a qual também foste chamado, tendo já feito boa confissão diante de muitas testemunhas.

      Desde que o crente inicia a sua vida espiritual, ele entra numa batalha contra as forças do mal, que vai durar toda a vida.

      E este combate espiritual continua até o crente alcançar a vida eterna.

      Logo que o crente entra na vida cristã, ele precisa ser aparelhado para a luta da fé. Todos os que pertencem ao reino do Filho de Deus tem contra si as forças do reino de Satanás, por isso precisam revestir-se de toda a armadura de Deus.

- O andar do crente é uma batalha.

- Fomos elevados aos lugares celestiais da comunhão com Cristo.

- Mantenhamos a honra da nossa chamada e a riqueza da nossa elevada posição.

- Como bons soldados, devemos permanecer firmes, defendendo a nossa fé.

- Aqui somos convidados a vestir-nos da armadura necessária ao homem de guerra, ao soldado.

- A fim de possuir cada peça dessa maravilhosa armadura, precisamos ir ao Calvário.

- Como vestimos a armadura, vemos que o nosso corpo todo fica coberto.

- Devemos estar em condições de enfrentar o inimigo.

V. 11: Revesti-vos de toda a armadura de Deus.

- A armadura não é nossa, nem de homem algum, é de Deus; é Ele que concede a armadura para o crente.

- Segundo, note que não há armadura para as costas, é porque não se espera que o crente fuja dos seus inimigos, mas combata o bom combate da fé, orando sempre.

I- A Vitória do Crente.

V. 10: No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder.

- O crente para superar as dificuldades e as lutas que vem contra a sua vida, precisa se fortalecer no Senhor e na força do seu poder.

- Precisamos da força de Deus em nossa vida para vencer todo o mal.

- Precisamos do poder de Deus em nossa vida para vencer a Satanás.

II Co. 10.4: Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas, sim, poderosas em Deus, para destruição das fortalezas.

- Deus nos deu armas espirituais para vencermos as batalhas espirituais.

- A vitória do crente foi obtida pelo próprio Cristo, mediante a sua morte na cruz, Jesus travou uma batalha contra Satanás, desarmou as potências e potestades malignas.

Cl. 2.15: E, despojando os principados e potestades, os expôs publicamente e deles triunfou em si mesmo.

- Jesus levou os cativos com Ele e redimiu o crente do domínio do maligno.

Cl. 1.13,14: O qual nos tirou da potestade das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor.

      Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados.

- Jesus é o nosso general de batalha.

- Jesus nos garantiu a vitória na cruz do calvário quando derramou o seu sangue.

- Em Jesus somos mais que vencedores.

II- A Batalha Espiritual do Crente no Presente.

      No presente, o cristão está empenhado numa guerra espiritual que ele trava, mediante o poder do Espírito Santo.

1- Contra os desejos corruptos dentro de si mesmo.

I Pe. 2.11: Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais que combatem contra a alma.

2- Contra os prazeres ímpios do mundo e todos os tipos de tentações.

I Jo. 2.16: Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.

- São desejos do mundo que o crente vence com a ajuda do Espírito.

3- Contra Satanás e suas forças.

Ef. 6.12: Porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.

- A Bíblia fala que o mundo jaz no maligno.

- Satanás joga setas malignas contra nós a todo momento para nos destruir.

- Precisamos estar vestidos com a armadura de Deus e munidos com o escudo da fé.

- A milícia cristã deve guerrear contra todo o mal, não por seu próprio poder, mas com armas espirituais.

II Co. 10.3: Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne.

- Para guerra espiritual se usa armas espirituais.

- O cristão na sua vida cristã vai ter um intenso combate contra o inferno.

I Pe. 5.8: Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar.

- O diabo anda procurando uma brecha para entrar na vida do crente.

- O diabo quer roubar, quer matar, quer destruir, quer tragar o crente.

Jo. 10.10: O ladrão não vem senão a roubar, a matar e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância.

- Jesus nos alertou a respeito do inimigo das nossas almas.

- Deus não deixou o seu povo desguarnecido para essa batalha, Ele nos forneceu a Sua armadura.

III- Como o Crente Deve Enfrentar a Batalha Espiritual.

      Na sua guerra espiritual, o cristão é conclamado a suportar as aflições como bom soldado de Cristo.

II Tm. 2.3: Sofre, pois, comigo, as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo.

- Sofrer em prol do evangelho.

- Na caminhada cristã não tem só rosas tem espinhos também.

- No cristianismo nós temos uma cruz para carregar.

Jo. 16.33: Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.

- As aflições do crente fazem parte da sua batalha espiritual.

- O cristão deve combater o bom combate da fé.

- Paulo dizia:

II Tm. 4.7: Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.

- O cristão é conclamado a guerrear espiritualmente.

- O crente é exortado a perseverar em oração em todo o tempo.

Ef. 6.18: Orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos.

- Mesmo tendo a armadura de Deus e vencendo o combate, Paulo exorta: Ore em todo o tempo.

- A oração é o combustível do soldado cristão.

- A oração deixa o crente alerta, forte e pronto para a batalha.

- A oração dá coragem ao crente para enfrentar os inimigos.

- A oração somada com a armadura de Deus leva o crente à vitória.

Rm. 8.37: Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou.

- Mas essa vitória vem porque o crente está firmado em Cristo.

I Co. 15.57: Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo.

- O Senhor Jesus nos faz triunfar em todas essas batalhas que enfrentamos.

II Co. 2.14: E graças a Deus, que sempre nos faz triunfar em Cristo e por meio de nós, manifesta em todo lugar o cheiro do seu conhecimento.

V. 13: Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau, e, havendo feito tudo, ficar firmes.

- Paulo fala aqui: Depois de havendo feito tudo, fique firme.

- Depois que vencer a batalha tem que continuar orando e ainda ficar firme.

- A tendência depois da batalha é de relaxar; mas o crente não pode relaxar, tem que continuar buscando a Deus e continuar firme.

Conclusão:

      A armadura de Deus está aqui na Bíblia porque precisamos dela, e porque verdadeiramente existe uma verdadeira batalha diária que o crente enfrenta. Não podemos desprezar a posse da armadura de Deus, se não estaremos desguarnecidos para as guerras travadas diariamente contra as potestades.

 

 

 
       
 

Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil







 

 
Mais mensagens
Adicionar AD Jabaquara aos Favoritos