O OBREIRO E A ESPIRITUALIDADE              
I Co.2.9-16
 

Int.- Quando aceitamos a Jesus como Salvador, deixamos de ser homem natural e passamos a ser homem espiritual. Quer dizer o nosso espírito foi tocado pelo Espírito de Deus e tivemos nossa vida mudada pela Graça de Deus.

      O homem natural é aquele individuo em estado natural. Sem o Espírito de Deus, o homem não regenerado.

      O homem espiritual é o homem regenerado.

      Em I Co.3.1- E eu, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a meninos em Cristo.

      O crente carnal é o crente que ainda não é maduro, espiritualmente falando.

      Paulo mostra aqui nesse texto que o homem natural não pode compreender as realidades espirituais porque elas não estão ao alcance do intelecto humano.

      O homem espiritual tem a capacidade de julgar, de discernir, de compreender todas as verdades espirituais, de distinguir entre o falso e o verdadeiro.

      Há uma diferença muito grande em ser homem natural e ser homem espiritual. O homem natural é o não salvo que vive as inclinações deste mundo. O homem espiritual é o salvo em Jesus Cristo que vive as inclinações do Espírito.

Rm.8.16- O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.

- Quer dizer há um contato do Espírito de Deus com o nosso espírito.

- Isso nos dá a convicção da presença de Deus em nossa vida e a certeza da vida eterna com Deus.

- Como homem nós precisamos ter essa convicção da salvação.

I- O Obreiro e a Espiritualidade.

      No Reino de Deus manifesto a nós, existem duas chamadas: A chamada para a salvação e a chamada para o ministério.

      Na chamada para o ministério a Bíblia nos diz que quem chama é Deus; não foi uma escolha nossa, mas é uma escolha de Deus.

Ef.4.11- E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores.

- O Senhor escolhe e capacita o homem para ser usado na sua obra.

- Nessa capacitação existe a parte de Deus e existe a parte do homem.

- A parte que compete ao homem Deus não irá fazer.

Pv.16.1- Do homem são as preparações do coração, mas do Senhor, a resposta da boca.

a) A parte de Deus é derramar o seu Espírito no homem.

- É manifestar os dons espirituais como ferramentas no uso na sua obra.

- É dar sabedoria e entendimento ao homem no cumprimento da sua chamada.

Ef.1.16,17- Não cesso de dar graças a Deus por vós, lembrando-me de vós nas minhas orações.

      Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê em seu conhecimento o espírito de sabedoria e de revelação.

- Essa é a parte de Deus para conosco.

b) A parte do homem é estudar a Palavra de Deus.

- É orar e consagrar a sua vida para que seja um instrumento nas mão de Deus.

- É viver o caráter de Cristo para que a Unção de Deus se manifeste em sua vida.

- Cabe ao obreiro desenvolver a sua espiritualidade.

- Ou seja se aproximar mais de Deus.

Exemplo: Eu comparo um obreiro com um atleta. Esse atleta nasce com um dom para aquela atividade esportiva, e se essa pessoa não exercitar, não treinar, não desempenhará sua atividade esportiva com sucesso. Da mesma forma acontece com o obreiro; ele tem a chamada, mas se não fizer a sua parte, não se encher do Espírito Santo e buscar o conhecimento da Palavra de Deus, será um obreiro medíocre e sem fruto.

- Todo sucesso tem seu preço.

- Todo êxito tem o seu sacrifício.

Exemplo: Eu admiro os americanos nessa parte. Quando eles pegam algo para fazer, eles querem ser o melhor naquela atividade. Seja um pastor ou não. Os pregadores mais destacados do mundo, assim como os escritores, são americanos. Porque eles não fazem mais ou menos, eles fazem com dedicação exclusiva, com excelência, para fazerem o melhor.

- O homem de Deus tem que ser espiritual.

- É inadmissível nós pensarmos num homem de Deus, carnal, com pouco Deus na sua vida.

 

Dt.5.27- Chega-te tu e ouve tudo o que disser o Senhor, nosso Deus; e tu nos dirás tudo o que te disser o Senhor, nosso Deus, e o ouviremos e o faremos.

- O obreiro é uma pessoa separada para trazer ao povo a Palavra de Deus.

- E para isso acontecer precisamos estar perto de Deus.

I Co.4.1- Que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus.

- O despenseiro é aquele que tem o acesso na despensa.

- Que administra e distribui o alimento da despensa.

I Co.4.2- Além disso, requer-se nos despenseiros que cada um se ache fiel.

- O obreiro tem a obrigação de ser um homem espiritual.

- Que seja um canal aberto que Deus possa usar.

- Deus não vai usar um homem que não é espiritual.

Rm.12.11- Não sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo ao Senhor.

- Um conselho importante ao obreiro: Ser fervoroso no espírito.

- O fervor de espírito só pode ocorrer mediante o contato com o Espírito Santo, que é a fonte do fogo.

- Fervor é o ardor, a dedicação intensa.

- Sirva ao Senhor com fervor no espírito.

- Tenha uma vida espiritual em crescimento.

II- As Qualidades do Homem que Deus Usa.

1- A primeira exigência de um líder cristão é santidade.

- Esse obreiro precisa ser sensível ao pecado que outros possivelmente consideram aceitável.

- Isaías tornou-se sensível a sua fala impura logo que viu o Senhor exaltado no templo.

- O tremendo som de repetição de “santo é o Senhor dos exércitos” pelos serafins, estarreceu-o.

I Pe.1.16- Porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo.

- O alicerce da santidade do líder está no caráter do Deus que ele está representando.

- A base maior do derramamento da Unção de Deus no obreiro se dá pelo caráter.

- A Unção de Deus na vida do homem de Deus tem tudo haver com caráter.

- O Pastor Luiz Palau diz: Um homem santo é uma arma poderosíssima nas mãos de Deus.

- Um líder não cai de repente, mas é como uma árvore em processo vagaroso de apodrecimento interno; ela cai, quando um vento forte sopra, porque a doença havia enfraquecido a estrutura interior.

2- A segunda exigência de um líder cristão é ser Cheio do Espírito Santo.

- Esse foi o segundo traço de caráter que os apóstolos solicitaram dos líderes que cuidavam da distribuição diária.

At.6.3- Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete varões de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio.

      Ser Cheio do Espírito Santo significa três coisas:                                    

a) Primeiro, significa que o obreiro tornou-se corajoso e valente.

- A ação do Espírito Santo em nossa vida, tira o medo e covardia.

II Tm.1.7- Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação.

- Todos os homens na bíblia que foram Cheios do Espírito Santo, mostram essa qualidade: Pedro no pentecoste; Estevão no seu apedrejamento; Paulo no seu ministério aos gentios.

b) Segundo, o enchimento do Espírito, trás zelo e poder evangelístico.

- A pessoa Cheia do Espírito não agüenta ficar calada diante das necessidades do mundo.

- Nós temos o exemplo dos apóstolos; de Filipe em Samaria; e de Paulo.

c) Terceiro, a plenitude do Espírito significa que o obreiro não está sozinho.

- Ele tem um assistente divino.

- O Espírito Santo coopera conosco na execução do ministério.

- O Espírito Santo nos orienta, nos guia, nos capacita, nos ensina, nos conforta e nos consola.

- Para sermos Cheios do Espírito Santo, precisamos ser homens de oração.

- Um homem de oração é a exigência básica para a liderança cristã.

- Orar é mudar.

- A oração verdadeira cria e transforma a vida.

- A oração é a avenida central que Deus usa para transformar-nos.

- A oração nos leva a ter uma vida mais espiritual.

- Um homem espiritual considera a oração como o principal negócio da sua vida.

- Martinho Lutero declarou: Tenho tanto o que fazer que não posso prosseguir sem passar três horas diariamente em oração.

- João Wesley disse: Deus nada faz senão em resposta à oração.

- Para esses homens de Deus, a oração não era um pequeno hábito preso à periferia de suas vidas, ela era a vida deles.

- Os obreiros de hoje não são mais tão espiritual, porque abandonaram o hábito da oração.

- Hoje não vemos tantas manifestações da Glória de Deus, porque os obreiros perderam o desejo da oração.

- Oração não questão de tempo, é questão de prioridade.

- Quando nos conscientizamos da sua importância, do seu valor, do seu poder transformador, então nos esforçaremos para nos dedicarmos a ela.

- Muita oração, muito poder; pouca oração, pouco poder; nenhuma oração, nenhum poder.

- Você como obreiro deseje uma vida de oração mais excelente, mais profunda, mais verdadeira.

3- A terceira qualidade do homem que Deus usa é a Sabedoria.

- Sabedoria significa mais do que mera inteligência.

Tg.3.17- Mas a sabedoria que vem do alto é, primeiramente, pura, depois, pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem particularidade e sem hipocrisia.

- A sabedoria lá do alto é livre de contaminação facciosa.

- Ela produz paz, em vez de contenda e disputa.

- Ela é gentil, ou seja, preocupada com o sentimento dos outros.

- A sabedoria do alto é plena de misericórdia, mostrando seu amor a outros.

- Sabedoria significa prontidão e perseverança, além da ausência de hipocrisia.

- O obreiro precisa ter sabedoria espiritual.

 

Cl.1.9- Por esta razão, nós também, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós e de pedir que sejais cheios do conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e inteligência espiritual.

- Era a oração de Paulo pelos crentes de Colossos.

- O que eu destaco desse versículo: Em toda a sabedoria e inteligência espiritual.

- Isto é, dada pelo Espírito.

- O obreiro servindo a Deus com uma busca constante de Deus, irá receber sabedoria e inteligência espiritual.

- O obreiro não pode ter somente a sabedoria humana; precisa ter também a sabedoria espiritual.

- Isso é um discernimento dado por Deus.

- Nós temos que fazer a obra de Deus, com a capacidade dada pelo Espírito de Deus.

III- O Obreiro Aprendendo com Jesus a ser Espiritual.

      Jesus é o maior modelo e exemplo para nós de como ser santo, abnegado e frutífero no Reino de Deus.

Mt.11.29- Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para a vossa alma.

- Jesus foi um líder que abandonou sua própria vontade para abraçar a vontade de Deus.

Jo.4.34- Jesus disse-lhes: A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra.

- O desejo ardente de Jesus era fazer a vontade do Pai.

Mt.20.28- Bem como o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e para dar a sua vida em resgate de muitos.

- Quanto mais parecido com Jesus nós formos, mais seremos úteis no Reino de Deus.

- Quanto mais espiritual nós formos, mais vida abundante teremos.

- Quanto mais mortificarmos o nosso corpo, mais Cristo reinará em nós.

Gl.2.20- Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim. 

 

- Quando nós morremos então Cristo passa a reinar em nós.

- O obreiro só é útil para Deus, quando ele morre para si.

Jo.12.24- Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, dá muito fruto.

- Quando morremos para nós, então daremos frutos para Deus.

 

Conclusão: Ser espiritual é uma necessidade para nós como obreiros da Seara do Mestre. O homem natural deste mundo está cansado de procurar soluções em outro natural como ele, eles procuram alguém espiritual, diferente, que tem Deus na vida, para ajudá-lo a encontrar Deus. Seja diferente, seja espiritual e glorifique o Nome do Senhor através do seu ministério.

 

     

  Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil