AS TRÊS PROVAS DE ABIATAR                                                                               02/10/2011
I Sm. 22.20-23
 

Int.- Abiatar que era sacerdote passou por três provas, que podem ser aplicadas aos obreiros hoje, como sacerdotes do Senhor. É possível participar do ministério levantado por Deus, e ainda assim fracassar no final, deixando-se influenciar pelo espírito de rebelião e perdendo o ministério sacerdotal diante do Senhor e do povo.

      Abiatar no hebraico significa “Pai da abundância”.

- Foi o décimo sumo sacerdote de Israel.

- Era filho do sacerdote Aimeleque.

- Foi o quarto sumo sacerdote da descendência de Eli.

- Era da linhagem de Itamar, filho mais novo de Arão.

      Pelo que nós vemos neste texto, foi o único filho de Aimeleque que escapou da vingança de Saul no massacre de 85 sacerdotes na cidade de Nobe.

- Foi a misericórdia do Senhor que lhe permitiu escapar com vida.

Lm. 3.22- As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim.

- Deus tinha um ministério na vida desse sacerdote.

- Ele estava nos planos de Deus.

- Na vida do obreiro nem tudo será fácil.

- Haverá espinhos e agruras na jornada do ministério.

- Todo obreiro chamado por Deus, passa por provas no seu ministério; no início, no meio e no fim do ministério, para que seja aprovado por Deus.

II Tm. 2.15- Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.

- Deus espera que nós como obreiros sejamos aprovados.

- Passamos por etapas de provas e de aprovação, na qual Deus vai nos dando o crescimento no ministério.

- Nenhum obreiro usado por Deus, escapa dessas provações.

- Na época do reinado de Davi, Abiatar foi sumo-sacerdote juntamente com Zadoque.

      Três provas passou Abiatar e Zadoque no sacerdócio.

I- A Primeira Prova de Abiatar, Foi a Prova do Deserto.

      Quando todos os sacerdotes de Nobe foram mortos por ordem de Saul, Abiatar fugiu e se juntou a Davi em Queila. Davi pediu a Abiatar que ficasse ao lado dele, prometendo protegê-lo.

      Abiatar escapando de Nobe e ajuntando a Davi, ele levou o colete sacerdotal consigo. Davi podia consultar a Deus por meio do sacerdote e receber a comunicação divina pelo ministério de Abiatar. Graças a isso, Davi conseguiu escapar de Saul em varias ocasiões.

- Como é importante o obreiro ter o canal aberto com os céus.

- Enquanto Saul matou todos os sacerdotes, mostrando que perdera o temor do Senhor. Deus foi misericordioso com Davi permitindo que ele tivesse um sacerdote para poder consultar o Senhor e receber o conselho de Deus.

      No conflito de Ziclague, Davi consultou Deus por meio de Abiatar, o sacerdote, e o Senhor lhe mostrou que ele recuperaria tudo que havia perdido na batalha. Abiatar, como sumo sacerdote, estava em contato com o Senhor e podia ministrar ao rei.

      Algum tempo depois, Saul morreu e Davi subiu ao trono. Davi estabeleceu o Tabernáculo no Monte Sião. Abiatar e Zadoque compartilharam o transporte da Arca para o Tabernáculo de Davi. Eles também participavam dos turnos dos sacerdotes por Davi.

- Tanto Abiatar como Zadoque não tiveram vaidades e nem restrições para participarem dos turnos dos sacerdotes.

- O que eu vejo nestes dois sacerdotes, é que eles foram servos.

I Pe. 5.5- Semelhantemente vós, jovens, sede sujeitos aos anciãos, e sede todos sujeitos uns aos outros e revestidos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.

- O obreiro precisa aprender a ser servo.

- Tanto Abiatar como Zadoque tiveram o privilégio de estarem entre os conselheiros de Davi.

- Abiatar foi um sacerdote fiel e leal durante os tempos difíceis do deserto e agora honrado no período do reinado.

      Abiatar demonstrou ser fiel ao passar pela prova do deserto, permanecendo ao lado de Davi, o rei ungido, embora ainda rejeitado.

- Abiatar reconhecia que Saul tinha perdido a unção do Espírito de Deus e que a unção agora estava com Davi.

- Provações, dificuldades, tentações e privações eram constantes nos dias do deserto.

- Mas, como de costume, primeiro vêem os sofrimentos e depois a glória do reino.

- Todo obreiro primeiro passa pela prova, pelo deserto, depois vem a glória, vem os frutos.

II- A Segunda Prova de Abiatar, Foram os Dias Maus.

      Depois de aproximadamente vinte anos de glorioso reinado, começaram os dias maus para o rei Davi, por causa do seu pecado.

- O filho rebelde de Davi, Absalão, cobiçava o trono do pai, e procurou conquistar o coração do povo, tramando contra o rei.

- O rei Davi novamente precisou fugir de Jerusalém para o deserto, como havia feito nos tempos de Saul.

      Zadoque e Abiatar, acompanhados de outros levitas, foram com Davi, levando com eles a Arca de Deus. Davi pediu que Zadoque e Abiatar retornassem a Jerusalém com a Arca de Deus e se mantivessem em contato com ele no deserto, informando-o dos acontecimentos que estavam ocorrendo em Jerusalém.

- O filho de Zadoque, Aimaás, e o filho de Abiatar, Jônatas, serviam como informantes de Davi no deserto.

- Em várias ocasiões esses sacerdotes e seus filhos conseguiram entregar mensagens a Davi.

- Para o obreiro fiel, toda a sua casa será fiel.

I Tm. 3.4- Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia.

- O bom obreiro tem toda a sua casa em sujeição.

- Os filhos seguirão os passos do pai.

- Tal pai, tal filho.

- Uma das grandes provas para o obreiro são os dias maus.

- Muitas vezes faltam is recursos materiais.

- Muitas vezes são as enfermidades que sobre vêem.

- Muitas vezes são as dificuldades e as incompreensões na família.

- O obreiro passando pelos dias maus e ao mesmo tempo tendo que fazer a obra de Deus.

II Tm. 2.3- Sofre, pois, comigo, as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo.

- Paulo está dizendo aqui a Timóteo: Sofre as aflições.

- Ninguém quer sofrer aflições.

- Quantos obreiros abandonam o barco no meio das aflições.

- Quantos obreiros pararam o ministério por causa dos dias maus.

- Os dias maus existirão para todos os obreiros.

- Mas a diferença está em como passar os dias maus fazendo a obra de Deus.

II Tm. 1.8- Portanto, não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor, nem de mim, que sou prisioneiro seu; antes, participa das aflições do evangelho, segundo o poder de Deus.

- O Evangelho também tem aflições.

Fp. 1.29- Porque a vós vos foi concedido, em relação a Cristo, não somente crer nele, como também padecer por ele.

- No Evangelho não tem somente gozo, mas também tem aflições.

- Não pode provar o doce, quem ainda não provou o amargo.

- Os dias maus lapidam o obreiro; trabalham no seu caráter; trazem um crescimento de maturidade e de experiências.

- Os maiores crescimentos ocorrem no deserto.

      Pouco tempo depois, Absalão, o rei usurpador, foi morto. Davi enviou uma mensagem a Zadoque e Abiatar incentivando-os a encorajar os anciãos a reconduzi-lo ao trono.

- Abiatar, juntamente com Zadoque, provaram sua lealdade e permaneceram fieis ao legitimo rei durante a revolta de Absalão e seus homens.

I Co. 4.2- Além disso, requer-se nos despenseiros que cada um se ache fiel.

III- A Terceira Prova de Abiatar, o Interesse Alheio.

      O rei Davi estava velho e abatido pelos anos, e em breve iria morrer. Adonias, filho de Hagite, irmão de Absalão, proclamou-se rei, procurando usurpar o trono de seu pai. Para isso, ele fez um acordo com Joabe, o comandante chefe do rei, e Abiatar, o sumo sacerdote, para ajudá-lo a conquistar o trono.

- Zadoque, entretanto, não se envolveu nessa conspiração.

- Em algum momento poderá aparecer um outro obreiro com uma proposta, para desviar-te da retidão e do plano de Deus.

- Abiatar, o sumo sacerdote, caiu no interesse alheio de Adonias.

- O obreiro usurpador começa com criticas ao pastor.

- O obreiro usurpador depois mostra que se fosse ele, faria diferente e melhor.

- O obreiro usurpador, tem um interesse carnal, humano e diabólico, não respeitando a autoridade espiritual.

- Adonias nem se interessava e nem queria saber, que quem escolheu Davi e o colocou no Trono, foi Deus.

- Da mesma maneira acontece no ministério.

Hb. 5.4- E ninguém toma para si essa honra, senão o que é chamado por Deus, como Arão.

- A aprovação e a benção de Deus só se dá para aquele que é colocado por Deus.

- Alguém pode até se fazer e se colocar no lugar de honra; mas o tempo mostrará a desaprovação de Deus.

- Jesus nos ensinou que pelo fruto se conhece a árvore.

- O obreiro é provado e aprovado pelos frutos.

- O ministério do obreiro é revelado pelos frutos.

- Não é o cargo ou a credencial do obreiro que o credencia, mas sim os frutos.

- Os frutos revelam o nosso ministério.

- Todo o Israel reconheceu a chamada de Davi pelos seus frutos.

I Sm. 18.7- E as mulheres, tangendo, respondiam umas às outras e diziam: Saul feriu os seus milhares, porém Davi, os seus dez milhares.

- O profeta Natã contou à rainha-mãe, Bate-Seba, sobre a conspiração contra o rei e a iminente tentativa de usurpação do trono de Davi.

- Deus sempre tem um profeta para avisar o seu ungido.

- Natã e Bate-Seba contaram tudo a Davi, relatando que até Abiatar, o sacerdote, tinha se unido a Adonias.

- Davi chamou Zadoque, o sacerdote e o profeta Natã. Eles tomaram o chifre com o óleo da unção do Tabernáculo e ungiram Salomão para ser o novo rei, em meio a grande alegria e júbilo.

- Abiatar merecia a morte, mas por causa da fidelidade que ele havia demonstrado a Davi nas aflições no deserto e durante a revolta de Absalão, foi poupado.

- Abiatar foi expulso de sua função sacerdotal e do ministério do Senhor, cumprindo desse modo a profecia contra a casa de Eli, proferida anos antes em Siló.

Conclusão: Abiatar foi provado três vezes. Na primeira ele se mostrou fiel, permanecendo ao lado de Davi, o rei ungido, durante o período do deserto. Na segunda vez ele também foi aprovado, quando o usurpador Absalão tomou o trono, durante um período de grande agitação e perturbação interna. Abiatar foi fiel ao rei ungido de Deus.

      Porém, ele falhou no terceiro teste sob Adonias, ao ser dominado pelo espírito de rebelião e de iniqüidade que estava operando no reino na época. Depois de tudo que enfrentou ao lado do rei Davi, depois de todas as alegrias do Tabernáculo de Davi, ele falhou no último teste, perdendo seu ministério sacerdotal.

- Que lição importante aprendemos aqui: A fidelidade só tem valor, se for até o final.

- Quantos começam bem e terminam mal.

- Quantos crescem e prosperam e no final perdem a benção.

- Não sejamos como Abiatar que começou bem e foi bem por um bom tempo, e no final se desajustou.

- Mas sejamos como Zadoque que foi aprovado em todos os testes.

Dn. 12.13- Tu, porém, vai até ao fim; porque repousarás e estarás na tua sorte, no fim dos dias.

- A benção de Deus deve estar sobre nós no começo, no meio e no fim.

Ec. 9.8- Em todo tempo sejam alvas as tuas vestes, e nunca falte o óleo sobre a tua cabeça.

- Aqui diz: Em todo tempo.

- Não podemos ter a graça só por um tempo, mas em todo o tempo.

Ap. 2.10- Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida.

- A recompensa maior receberemos no final.

Ec. 7.8- Melhor é o fim das coisas do que o principio delas.

- O final do homem de Deus é de paz.

Sl. 37.37- Nota o homem sincero e considera o que é reto, porque o futuro desse homem será de paz.

      Obreiro seja fiel até o final.

 
    

  Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil

 
Mais mensagens