A TORRENTE DAS ÁGUAS PURIFICADORAS                                                                                                
02/02/2010

Ez.47.1-12
 

Int.- O Profeta Ezequiel teve uma visão desse rio das águas purificadoras. É uma passagem bíblica bem interessante, onde sempre lemos, procurando entender o seu significado. Esse rio misterioso da visão de Ezequiel, tem um grande significado profético.

      Há passagens na Bíblia que tem um sentido simbólico, outras tem um sentido tipológico, outras são literais no seu sentido e outras tem um sentido profético como essa.

      Aqui eu abro um parênteses para dizer que existem três tipos de mensagens que proferimos:

1- Existe a Mensagem Profética.

- Que é uma revelação direta de Deus dentro de uma necessidade.

2- Existe a Mensagem Inspirada.

- Que é um assunto que Deus coloca em nosso coração para transmitir, onde todos precisam receber.

3- Existe a Mensagem Dirigida.

- Que é aquela que nós preparamos para trazer um ensinamento para a igreja.

      Voltando para o assunto da visão de Ezequiel. A Bíblia revela que no milênio que vai acontecer, onde Jesus reinará sobre a terra por mil anos, fluirão rios de água viva do santuário para os desertos da terra.

Zc.14.8- Naquele dia, também acontecerá que correrão de Jerusalém águas vivas, metade delas para o mar oriental, e metade delas até ao mar ocidental; no estio e no inverno, sucederá isto.

- Tudo viverá por onde quer que passe este rio.

- Tudo aquilo que está morto recebe vida.

I- A Visão do Rio que Ezequiel Teve.

- Era um rio extenso e fundo. Isso nós percebemos lendo esses versículos.

- Mostrando que é riquíssimo em bênçãos para terra.

1- Sua Origem (Nascente).

V.1- Fluía do Santuário (V.12).

- As águas vinham de debaixo do altar.

- É uma figura do Espírito Santo que vem do Pai.

- O Rio representa o Espírito Santo de Deus.

Jo.15.26- Mas, quando vier o Consolador, que eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito da verdade, que procede do Pai, testificará de mim.

Jo.14.16- E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre.

2- A Corrente do Rio.

- A água desce do altar (cruz), do lugar de todas as bênçãos, e corre para um mundo sedento.

Ap.22.1- E mostrou-me o rio puro da água da vida, claro como cristal, que procedia do trono de Deus e do Cordeiro.

- O Espírito Santo foi dado somente após a morte de Jesus Cristo no Gólgota.

Jo.16.7- Todavia, digo-vos a verdade: que vos convém que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, se eu for, enviar-vo-lo-ei.

- Somente quando a dispensação do Filho terminasse, se iniciaria a dispensação do Espírito Santo.

- É como a corrida de bastões; onde um só parava quando passasse o bastão para o outro corredor.

3- A Força do Rio.

      O rio cresceu em poder e plenitude, apesar de não haver afluentes.

- Só um rio de Deus pode ter esse crescimento.

V.8- O rio levava saúde onde chegava.

V.9- O rio levava vida a todos a que nele entrava.

V.12- O rio fertilizava às margens por onde passava.

      Assim age o Espírito Santo naqueles que crêem em Jesus.

Jo.7.38,39- Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre.

      E isso disse ele do Espírito, que haviam de receber os que nele cressem; porque o Espírito Santo ainda não fora dado, por ainda Jesus não ter sido glorificado.

- Aqueles que crêem em Jesus e o aceitam, recebem o Espírito Santo.

II- A Experiência Crescente Neste Rio.

      Enquanto o profeta obedecia, passava por experiências cada vez mais profundas.

      Aqui existem quatro níveis de profundidade:

 

1- Águas que davam pelos tornozelos (artelhos) (V.3).

- Representa a idade infantil do crente, a fé daquele que se decide a Deus e entra no rio da vida divina.

- É o inicio da vida de fé.

- Esse período varia de crente para crente.

Hb.5.13- Porque qualquer que ainda se alimenta de leite não está experimentado na palavra da justiça, porque é menino.

- Esse crente tem pouco conhecimento e poucas experiências com Deus.

- Está começando a experimentar a andar com Deus.

- Está começando a aprender a andar.

2- Águas que lhe davam pelos joelhos (V.4).

- Representa claramente a vida de oração.

- O espírito de oração.

- Quem assim faz, experimenta o jorrar de bênçãos em abundâncias.

- O crente que inicia a sua fé, logo precisa descobrir esse acesso a Deus.

- A oração é o condutor que nos leva ao Trono da Graça.

- A oração é alimento para o nosso espírito.

- A oração é a chave que abre as portas das bênçãos para a nossa vida.

- Quando oramos temos forças.

- A oração nos dá energia para prosseguirmos.

Ef.6.18- Orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos.

- Aqui diz em todo tempo.

- Em tempo de paz ou em tempo de guerra.

- Tenho experimentado isso em minha vida e tenho usado muito.

- Se não fosse a oração eu já teria naufragado.

3- Águas que lhe davam pelos lombos (V.4).

- O lombo é a parte inferior do abdomem, junto a cintura.

- Representa o mistério da força e é uma imagem do serviço.

- Depois da oração vem o trabalho.

- O crente que chega nesse níveo no Rio de Deus: Começa a trabalhar para o Reino de Deus, começa a dar fruto para o Senhor.

- Primeiro ele ora e então tem forças e alegria para trabalhar para Jesus.

- Quem não ora não consegue perseverar no trabalho do Senhor.

- Até tem planos, tem projetos, tem idéias, mas não consegue colocá-las em prática, porque falta a oração.

 - No trabalho para Deus nós ganhamos experiências e crescimento.

- O trabalho para Deus nos traz alegria, regozijo, satisfação.

- Quando nós trabalhamos para Deus, não temos tempo de se ocupar com pecuínhas, falatórios e embaraços que não agradam a Deus.

Ne.6.3- E enviei-lhes mensageiros a dizer: Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer; por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse e fosse ter convosco?

- Neemias estava ocupado com a obra de Deus, e não tinha tempo para tratar com os seus inimigos.



4- Águas pelo qual não se podia passar (V.5).

- Chegou-se a um ponto, onde não dava mais para andar, porque as águas eram fundas, agora teria que nadar.

- Representa a plenitude da graça divina e revela o auge da vida de fé.

- Mostra-nos que quanto mais submersos estamos nas águas do rio, menos vemos o nosso próprio eu.

- É vivendo na total dependência de Deus.

- É o crente chegando na maturidade de crente adulto.

I Co.13.11- Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.

Fp.4.12- Sei estar abatido e sei também ter abundância; em toda a maneira e em todas as coisas, estou instruído, tanto a ter fartura como a ter fome, tanto a ter abundância como a padecer necessidade.

- Esse é o testemunho de um crente adulto.

- Que depende inteiramente da Graça de Deus.

- Que aprendeu a viver a vida cristã na sua plenitude.

 

Conclusão: Em que nível de profundidade você está neste Rio de Deus?


 

  Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo