Home
 
 
 
 
 
 
  De Volta às Escrituras

02/08/2016

 
  Jo. 10.22-29    
 

 

Ne. 8.1-12

Int.- O remanescente do povo judeu acabara de voltar do cativeiro babilônico, haviam restaurado os muros da cidade de Jerusalém, e uma boa parte da cidade.

       Todo o povo se reuniu na rua diante da Porta das Águas, na cidade de Jerusalém, e pediu que Esdras, o escriba, trouxesse o livro da lei de Moisés. Ele se pôs de pé num púlpito de madeira e explicou a Lei ao povo. Essa leitura pública trouxe verdadeiro arrependimento ao povo e ocorreu então um grande despertamento espiritual.

      Quando o rei Josias achou o livro da Lei, teve início uma grande reforma. Quando Martinho Lutero leu a Bíblia, começou a Reforma Protestante. A Palavra de Deus precisa ser lida hoje.

      O livro de Neemias é um livro de restauração.

1- A restauração de Jerusalém passou por três etapas:

a) Restauração Física: Os muros e as portas da cidade foram restaurados.

b) Restauração Social: A ordem política, social e religiosa estabelecida.

c) Restauração Espiritual: Promovida pela Palavra de Deus.

2- A grande reforma de Neemias. A maior reforma que Neemias implementou em Jerusalém foi à restauração da autoridade da Palavra de Deus sobre o povo. Sem essa restauração Jerusalém estaria absolutamente vulnerável.

3- A maior necessidade hoje da Igreja. É a restauração da autoridade suprema e única da Palavra de Deus para reger a vida do povo.

4- Hoje há quatro graves problemas na igreja de uma forma geral:

a) Liberalismo.

b) Sincretismo.

c) Ortodoxia morta.

d) Analfabetismo bíblico.

I- O Interesse Para Ouvir a Palavra de Deus.

1- Foi Espontâneo (V.1) – Deus moveu o coração do povo para reunir-se para buscar a Palavra de Deus. Eles não se reuniram ao redor de qualquer outro interesse. Hoje o povo busca resultados, coisas, benefícios pessoais e não a Palavra de Deus. Querem as bênçãos de Deus, mas não Deus. Têm fome de prosperidade e sucesso, mas não têm fome da Palavra.

 

 

2- Foi Coletivo (V. 2,3) – Todo o povo: Homens e mulheres reuniram-se para buscar a Palavra de Deus. Ninguém ficou de fora. Pobres e ricos, agricultores e nobres, homens e mulheres. Eles tinham um alvo em comum, buscar a Palavra de Deus. Precisamos ter vontade de nos reunir não apenas para ouvirmos cantores famosos ou pregadores conhecidos, mas reunirmo-nos para ouvirmos a Palavra de Deus. O centro do culto é a pregação da Palavra de Deus.

3- Foi Harmonioso (V. 1) – “Todo o povo se ajuntou como um só homem”. Não havia apenas ajuntamento, mas comunhão. Não apenas estavam pertos, mas eram unidos de alma. A união deles não era em torno de encontros sociais, mas em torno da Palavra de Deus.

4- Foi Proposital (V. 1)- “E disseram a Esdras, o escriba, que trouxesse o livro da lei de Moisés, que o Senhor tinha ordenado a Israel”. O propósito do povo era ouvir a Palavra de Deus. Eles tinham sede da Palavra. Eles tinham pressa de ouvir a Palavra. Não era qualquer novidade que os atraía, mas a Palavra de Deus. (Am. 8.11)

II- A Autoridade da Palavra de Deus.

1- O pregador precisa estar comprometido com as Escrituras. (V.2,4,5)

- Esdras era um homem comprometido com a Palavra de Deus.

Ed. 7.10: Porque Esdras tinha preparado o seu coração para buscar a lei do Senhor, e para cumprir, e para ensinar em Israel os seus estatutos e os seus direitos.

- O povo não busca alguém para lhes contar bonitas experiências, mas eles procuram um fiel expositor das Escrituras.

- A maior necessidade da igreja é de homens que conheçam, vivam e preguem a Palavra de Deus com fidelidade. A pregação é a maior necessidade da igreja e do mundo hoje.

- A pregação é a tarefa mais importante que existe no mundo.

- O impacto causado pela leitura da Palavra de Deus por Esdras é comparado ao impacto da Bíblia na época da Reforma do século XVI.

- Precisamos nos tornar o povo do livro, da bíblia, da Palavra.

- Não há reavivamento ou mudança sem se voltar a autoridade da Palavra.

- Jesus pregava e ensinava com autoridade.

Mt. 7.29: Porquanto os ensinava como tendo autoridade, e não como os escribas.

 

 

2- O povo precisa estar sedento das Escrituras – (V. 1,3)

- A Bíblia foi o anseio do povo.

- Eles se reuniram como um só homem, com os ouvidos atentos, reverentes, chorando e alegrando e prontos a obedecer.

- Eles não querem farelo, mas querem trigo.

- Eles querem pão do céu.

- Eles querem a verdade de Deus.

- Eles buscaram pão onde havia pão.

- Muitos buscam a Casa do Pão e não encontram pão.

- São como Noemi e sua família que saíram de Belém e foram para Moabe, porque não havia pão na Casa de Pão.

- Quando as pessoas deixam a Casado do Pão encontram a morte.

- Há muita propaganda enganosa nas igrejas: prometem pão, mas só há fornos frios, prateleiras vazias e algum farelo de pão.

Jo. 6.51: Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo.

3- Atitudes do povo em relação às Escrituras.

a) Ouvidos Atentos (V. 3) - O povo permaneceu desde a alva até ao meio-dia, sem sair do lugar, com os ouvidos atentos.

- Não havia dispersão, distração, enfado.

- Eles estavam atentos não ao pregador, mas ao livro da lei.

- Não havia estrelismo nem tietagem, mas fome da Palavra.

b) Mente desperta (V. 2,3,8) – A explicação era lógica, para que todos entendessem.

- O reavivamento não foi um apelo às emoções, mas um apelo ao entendimento.

- A superstição irracional era a marca do paganismo.

Os. 4.6: O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento, porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.

Mt. 22.29: Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não...

c) Reverência (V.5) “E Esdras abriu o livro perante os olhos de todo o povo; porque estava acima de todo o povo”.

- Essa era uma atitude de reverência e respeito à Palavra de Deus.

- Esse púlpito elevado não era para revelar a oratória do pregador, mas a supremacia da Palavra.

 

 

d) Adoração (V.6)

V. 6: E Esdras louvou ao Senhor, o grande Deus; e todo o povo respondeu: Amém! Levantando as suas mãos; e inclinaram-se e adoraram ao Senhor, com o rosto em terra.

- Esdras ora, o povo responde com um sonoro amém, levanta as mãos e se prostra para adorar. Onde há oração e exposição da Palavra, o povo exalta a Deus e o adora.

- Houve um grande avivamento em Judá através da leitura e explicação da Palavra de Deus.

- Os grandes avivamentos da história da Igreja vieram com a pregação da Palavra e com a oração.

V. 8: E leram no livro, na lei de Deus, e declarando e explicando o sentido, faziam que, lendo, se entendesse.

- É preciso que seja explicado aquilo que foi lido, para que se entenda.

- Neemias e Esdras disseram ao povo: “Este dia é consagrado ao Senhor, vosso Deus, pelo que não vos lamenteis, nem choreis. Mas Ide, comei as gorduras, bebei as doçuras. Portanto, não vos entristeçais, porque a alegria do Senhor é a vossa força”.

V. 12: Então todo o povo se foi a comer, e a beber, e a enviar porções, e a fazer grandes festas, porque entenderam as palavras que lhes fizeram saber.

Conclusão:

- Se queremos restauração para a igreja, precisamos buscar não as novidades, mas voltarmo-nos para as Escrituras.

- A alegria de Deus sempre vem quando se obedece a Palavra de Deus.

- A alegria do Senhor é a vossa força.

- O mundo está atrás da alegria, mas ela é resultado da obediência à Palavra de Deus.

- O pecado entristece, adoece, cansa.

- Mas, a obediência à Palavra de Deus traz uma grande e gloriosa alegria.

- Um povo alegre é um povo forte.

Sl. 100.2: Servi ao Senhor com alegria e apresentai-vos a ele com canto.

- A alegria do Senhor é a nossa força.

- Quando você está alegre, a força de Deus o entusiasma.

- Voltemos à Palavra, voltemos às Escrituras, voltemos para Deus.

 

 

 
       
 

Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil







 

 
Mais mensagens
Adicionar AD Jabaquara aos Favoritos